4 problemas enfrentados com o ressuprimento de estoques manual

Fazer a reposição de estoques já é, por si só, um trabalho bastante complexo tanto para a indústria quanto para o varejo. Realizar esse processo de forma manual, sem informações atualizadas sobre o quanto, quando e onde repor determinado produto, se torna um desafio ainda maior. Principalmente quando o ideal é manter estoques em níveis adequados para não comprometer o capital de giro e garantir a disponibilidade de produtos nos pontos de venda.

Separamos aqui cinco desafios do ressuprimento de estoques feito de forma manual que são um incentivo à automatização.

#1 Volume de trabalho

No varejo, o portfólio de produtos deve ser vasto o suficiente para garantir o lucro, o que garante uma quantidade enorme de itens para se gerenciar. E planejar esses estoques manualmente leva a um volume de trabalho que precisa ser dividido entre colaboradores.

Nesse cenário, nem sempre a informação é compartilhada corretamente. As falhas na comunicação levam ao fracasso que, no planejamento de estoques, na maioria das vezes acaba em ruptura. Para ter a visão do todo, é preciso abandonar processos manuais e investir em tecnologias integradas e automatizadas.

#2 Controle sobre informações

A integração promovida pela tecnologia entrega o que o trabalho manual jamais conseguirá: controle sobre as informações.

Evitar a indisponibilidade depende de controlar as informações no sell-out – que é a demanda do produto ditada pelo consumidor.

#3 Descoberta do PR ideal

Cada item tem seu Ponto de Ressuprimento (PR) ideal. Descobri-lo é matar a charada e evitar a indisponibilidade de vez. De acordo com inúmeros manuais, como o do professor Maurício Kuehne Júnior, a fórmula é simples. Mesmo sendo fácil de aplicar, ter tempo e acesso a todas as informações necessárias é questão de sorte – ou de azar -, em processos manuais. Isso porque o controle sobre as informações está sempre sujeito a falhas humanas.

“Ponto de Ressuprimento (PR) ou Ponto de Encomenda (PE) ou Ponto de Pedido (PP): corresponde ao nível de estoque que, ao ser atingido, indica a necessidade de ressuprimento do material”

#4 Dilatação do IR

IR em supply chain significa Intervalo de Ressuprimento. Essa expressão designa o tempo existente entre uma reposição e outra. Quando esse lapso é dilatado, um produto pode estar em falta no ponto de venda.

Na medida em que o controle de reposição se perde em processos manuais, não é possível manter o IR sem dilatações indesejáveis e arriscadas.

A cadeia de suprimentos e suas transações geram uma infinidade de dados por meio de processos cheios de regras. Essas normas se estendem desde à fiscalização e tributação, diferentes em cada estado do Brasil, até regras internas de abastecimento e movimentação de pátios e docas.

Por isso, o ressuprimento automático de estoques deve ser cada vez mais visto como estratégia nos processos do varejo e da indústria.

Autor

Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).

Compartilhar

Comente este artigo