5 boas práticas na cadeia produtiva da sua empresa

Na realidade atual dos negócios, o termo cadeia produtiva é bastante comum para a maioria das empresas que se dedicam à fabricação e circulação de bens. Atualmente, devido à globalização das atividades e à maior necessidade de companhias de conectarem para entregarem o produto final ao consumidor, desenvolver uma cadeia produtiva eficiente é mais que um diferencial, é uma exigência.

Nesse contexto, alinhar diferentes agentes que atuam em etapas distintas da produção, trocar informações, organizar fluxos logísticos e firmar parcerias coesas e capazes de entregar o que o consumidor necessita, no local e no tempo certo, tornou-se um grande desafio para as empresas.

Contudo, existem boas práticas na cadeia produtiva que podem ser utilizadas com o objetivo de otimizá-la. Neste post, listamos 5 delas que certamente contribuirão com a sua empresa.

O conceito por trás de uma cadeia produtiva

Antes de mostrarmos como a cadeia produtiva pode ser otimizada, é fundamental que antes saibamos exatamente a dimensão desse termo. Apesar de ser uma expressão rotineira, ela  costuma gerar certa confusão com outros conceitos também bastante conhecidos, como é a “cadeia de suprimentos”.

Podemos entender uma cadeia produtiva como um fluxo organizado e consecutivo de etapas, ao longo das quais materias básicos e insumos são transformados em  um produto acabado e pronto para o uso.

Embora o conceito seja relativamente simples, na prática, cadeia produtivas podem ser extremamente complexas e extensas. Hoje, devido à modernidade dos meios e o rompimento de muitas barreiras físicas, as cadeias produtivas são formadas por diversas unidades empresariais, essas espalhadas por diferentes partes do mundo, mas integradas e sincronizadas de forma totalmente eficiente.

Atualmente, a depender do tipo de bem a ser fabricado, a cadeia produtiva envolve inúmeros agentes. A exemplo, itens como smartphones e computadores, os quais contém muitos componentes, dependem de diferentes fornecedores, longas cadeias de suprimentos e um esforço logístico enorme para que o produto final seja entregue ao consumidor adequadamente.

Para que tudo isso flua de maneira harmônica e atenda aos interesses e necessidades do cliente, as empresas precisam estar em constante comunicação, compartilhando dados, insights e informações capazes de manter a cadeia produtiva sempre eficiente. Para tanto, algumas práticas podem fazer a diferença, como veremos adiante.

5 maneiras de otimizar a cadeia produtiva da sua empresa

1. Gestão a partir de dados

Mantendo cadeia produtivas e cadeias de suprimentos cada vez mais extensas e complexas, a gestão dessas atividades se tornou algo muito mais amplo dentro das empresas. Hoje, é praticamente impossível acompanhar e gerir todas os processos sem que haja ferramentas para aumentar a visibilidade.

Nesse sentido, por exemplo, o planejamento a partir de dados se torna uma estratégia indispensável para gestores e líderes. Com apoio de softwares, coletando dados, acompanhando métricas e indicadores, fica menos complexo e arriscado planejar as operações e entender os seus resultados.

Assim sendo, é fundamental que as empresas entendam o valor dos seus dados para a otimização da cadeia produtiva. Isso porque, inconsistências verificadas em uma das suas etapas certamente poderão interferir nas demais. Por isso, é essencial integrar as operações e compartilhar a maior quantidade de dados estratégicos possível, de modo que todos os envolvidos na cadeia tenham as informações de que necessitam para agir em conformidade.

2. Determinação de metas a serem alcançadas pelo negócio

Outro ponto essencial para reforçar a qualidade da cadeia produtiva é a definição de metas claras a serem alcançadas pelo negócio. Mais do que ter em mente que é preciso melhorar as operações, aumentar o faturamento ou reduzir os custos, a sua empresa precisa ter uma noção exata do que é preciso melhorar e até quando isso precisa ser feito.

Hoje, devido à dinâmica acelerada do mercado, às mudanças contínuas dos hábitos de consumo e às oscilações econômicas, trabalhar com diferentes perfis de metas é a chave para cobrir a maior quantidade de variáveis possíveis que podem impactar a sua cadeia produtiva.

Nesse ponto, citamos também a importância de o negócio operar com base na inteligência dos dados, por exemplo, com bons sistemas de BI, os quais poderão embasar melhor a fixação de metas e objetivos, aumentando a probabilidade de sejam concretizados.

3. Investimento em liderança e capacitação de funcionários

Os recursos humanos também têm um impacto direto na qualidade da cadeia produtiva da empresa. Nesse sentido, não basta ter os dados mais estratégicos e uma boa infraestrutura se o pessoal não estiver 100% alinhado com o padrão de atividades da empresa.

Desse modo, outra prática indispensável é investir na qualificação e treinamento das equipes internas da empresa e, mais ainda, nas suas lideranças. Todos os membros da empresa precisam estar familiarizados com as novas metodologias de gestão da cadeia produtiva, com os conceitos mais modernos, como machine learning, automação, big data e inteligência artificial.

Isso porque, de uma forma ou de outra, esses são conceitos presentes na indústria, no varejo e na cadeia produtiva de uma forma mais ampla.

4. Conhecimento técnico do processo

Como se sabe, a transformação de uma matéria-prima em um bem de consumo, a depender do tipo de produto, pode demandar uma longa cadeia produtiva. Nesse sentido, cada empresa deve estar ciente de como a sua cadeia funciona, quais suas etapas, quais os seus envolvidos e como cada uma dessas variáveis se relaciona com o modelo de negócios, com as demandas do mercado e o posicionamento da concorrência.

Ou seja, ter conhecimento técnico sobre a sua cadeia produtiva é um diferencial importante para empresas que desejam ser ainda mais competitivas e entregar produtos mais alinhados às demandas e necessidades dos seus clientes.

Como cada negócio tem a sua realidade, apresenta necessidades distintas e compõe uma cadeia de uma forma própria, os gestores precisam ter um conhecimento avançado sobre as peculiaridades, pois só assim poderão tomar decisões de forma precisa e condizentes com as demandas do seu consumidor.

5. Investimentos em tecnologia

Por fim, não há como falar de boas práticas na cadeia produtiva sem citar a importância da tecnologia para a boa execução dos processos. Em um mercado em que as cadeias globais se tornam mais comuns, a tecnologia é um dos pilares para que as atividades de empresas em diferentes países consigam ser integradas de maneira eficiente.

Atualmente, sistemas especializados são capazes de operacionalizar a gestão automática da cadeia de suprimentos, sincronizando manufaturas, varejos, distribuidores, instituições financeiras e governo de acordo com a demanda do consumidor.

Soluções inteligentes integram sistemas de informação, fornecem dados e visibilidade para que diferentes atores de uma mesma cadeia produtiva possam entender quais as demandas, ajustar suas atividades de forma rápida e precisa e garantir a entrega do produto certo no tempo ideal.

Agora que já está mais bem informado sobre boas práticas na cadeia produtiva, não pare por aqui. Assine nossa newsletter e fique informado sobre esse e outros temas relacionados!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Compartilhar
Comente este artigo