Afinal, o que é supply chain?

Imagine você chegar em uma lanchonete, pedir uma garrafa de água gelada e ouvir como resposta que o produto está em falta, mas deve chegar na semana que vem. Diante dessa situação, há duas alternativas: esperar a água chegar ou procurar em outro lugar. Como sua sede não pode esperar, você fica com a segunda opção levando junto a impressão de que o estabelecimento é mal gerenciado, afinal, itens básicos como garrafas de água não podem faltar de jeito nenhum.

Esse tipo de situação mostra que há muito mais por trás de uma venda perdida. A necessidade não atendida do consumidor pode levá-lo a não voltar mais no seu ponto de venda, não importa o seu segmento de atuação. Daí a importância de se ter o Supply Chain muito bem gerenciado. Você provavelmente já deve ter ouvido falar muito nesse termo, mas sabe exatamente o que ele significa?

Também conhecido como cadeia de suprimentos, o Supply Chain pode ser definido como um conjunto de empresas e pessoas que se relacionam para trocar informações e produtos com o objetivo principal de atender as necessidades e os desejos do consumidor final. Por exemplo: para que você consiga comprar um suco de laranja em caixa é necessário que alguém tenha plantado as laranjas e que elas tenham sido colhidas e processadas. Depois disso, o suco foi embalado, transportado e finalmente distribuído para empresas de varejo como supermercados.

Lendo assim, todo esse processo parece fácil, mas coordenar os fluxos de Supply Chain tem seus desafios. Entre eles está o fato de que geralmente as cadeias de suprimentos têm participação de diversas empresas em cada nível, as quais se relacionam em fluxos multilaterais, aumentando o número de variáveis a serem gerenciadas.

Outro ponto é que o atual nível de exigência do consumidor é extremamente alto, dado o grande volume de informações que recebe diariamente, por isso, ele não quer esperar. A loja precisa ter a mercadoria com as características necessárias disponível naquele momento, caso contrário, o cliente vai para o estabelecimento que melhor planejou e antecipou suas demandas e conseguiu aproveitar a oportunidade de venda.

Atualmente, no entanto, estar com o estoque em dia já não basta para disparar na competitividade: é preciso oferecer uma experiência de compra positiva para o cliente, como o varejo multicanal – possibilidade de o consumidor fazer compras em um ambiente on-line e trocas em pontos de venda físicos da marca, por exemplo, fazendo com que não perceba diferença entre os mundos virtual e real e se relacione com a marca da forma que melhor lhe convir no momento. E para oferecer esse diferencial importante aos clientes finais, a cadeia de suprimentos precisa estar integrada, já que ela deve funcionar de acordo com a velocidade do consumidor.

Para superar os novos desafios os varejistas precisam contar com a tecnologia para integrar todos os players da cadeia de suprimentos e obter uma visão geral de tudo que está acontecendo em tempo real. Isso ajuda a alinhar atividades e melhorar o desempenho em todos os níveis, atingindo o objetivo principal da gestão de Supply Chain, que é oferecer um atendimento de excelência ao cliente final com operações eficientes ao menor custo possível.

Como você conseguiu perceber, cadeia de suprimentos envolve muito mais do que apenas uma movimentação de produtos entre empresas e o seu correto gerenciamento pode ser a chave para garantir uma posição de sucesso à rede varejista dentro do mercado. Quer saber mais? Acesse o blog da NeoGrid e leia mais posts sobre o tema – para que nunca falte água e suco de laranja!

Autor

A NeoGrid é uma empresa brasileira de soluções para a gestão de Supply Chain com clientes em mais de 30 países e escritórios na América Latina, América do Norte, Europa e Ásia. Em plataforma exclusiva e completa, as soluções NeoGrid sincronizam a cadeia de suprimentos, trazendo como resultado a redução de rupturas (faltas) e, ao mesmo tempo, a redução de estoques.

Compartilhar

Comente este artigo