Aumente a eficiência do varejo usando o modelo de sell-out

O atual cenário econômico sinaliza a necessidade de mudanças em todos os setores, sobretudo no varejista. Os agentes da cadeia de suprimentos (supply chain) projetam um fim de ano com quedas nas vendas para o consumidor final, o que representaria a primeira retração em 12 anos, conforme noticiou o Estadão, no dia 4 de outubro. Pelas contas da Confederação Nacional de Comércio (CNC), as vendas do varejo restrito (que inclui veículos e materiais de construção) devem cair mais de 4%. Esse cálculo é feito a partir da projeção deste ano, comparando-a ao desempenho de dezembro de 2014.

Em meio a esse contexto, o aumento da eficiência operacional surge como uma oportunidade para evitar que esse clima ruim da economia reflita no caixa da sua empresa. Uma boa saída nesse sentido é estabelecer um modelo capaz de monitorar com rigor o comportamento de quem mais deve interessar tanto ao varejo quanto à indústria: o consumidor final.

Intitulado de sell-out, esse métodoorienta seu planejamento e reposição de estoque para maior visibilidade dos produtos na gôndola, favorecendo a competitividade. O post O que é sell-out e como ele pode aumentar a eficiência da cadeia de suprimentos explica com mais detalhes como o sell-out pode atuar contra as oscilações entre falta e excessos no estoque.

Veja abaixo cinco benefícios reais para sua empresa ao fazer uso deste modelo:

  • Maior transparência contra o estoque inchado: um comportamento bem comum entre os elos da cadeia de suprimentos (indústria e varejo) para evitar a ruptura na gôndola é manter o estoque cheio. Esse armazenamento faz com que o dinheiro fique empregado no estoque, na loja ou no Centro de Distribuição, resultando em custos e dando uma dimensão equivocada das vendas, já que ela não foi efetivada ao consumidor final.
  • Evita desperdício de produtos: a situação trazida no tópico anterior pode levar à perda de itens, uma vez que um grande volume no estoque pode comprometer a validade de produtos. Isso pode levar a desperdícios ou mesmo a um custo ainda maior com a devolução dos produtos.
  • Elimina promoções que reduzam o lucro: com um estoque inchado, outra solução bem comum no varejo é promover uma mega promoção, para livrar o espaço de armazenamento e evitar a perda de produtos. Isso reduz a margem de lucro sobre os itens, impactando no caixa.
  • Combate a falta de produtos: na contramão das situações elencadas acima, outro problema a ser evitado é a ruptura de estoque. Isso pode levar o consumidor final a ir para outro estabelecimento ou optar por marca de outro concorrente, o que impacta no lucro do varejo e indústria, respectivamente.
  • Maior clareza quanto ao preço fixo: no modelo por sell-out, a variável de negociação entre os elos de cadeia passa a ser o valor de venda ao consumidor final e não a definição de preço por sell-in (venda feita pelo produtor para o varejo). Isso dá maior transparência na relação entre esses agentes, pois tem como objetivo regular o valor aplicado ao cliente final.

Ao adequar-se ao modelo de sell-out, é possível alinhar os interesses de cada um dos agentes da cadeia de suprimentos (supply chain). Além de favorecer a competividade, esse modelo equaliza a relação entre eles e evita o excesso de itens ou a falta deles no estoque (fatores que geram perdas ao varejo).

Continue acompanhando as postagens no blog para saber como a tecnologia pode ser aliada ao desafio de aumentar a eficiência do seu negócio.

Autor

A NeoGrid é uma empresa brasileira de soluções para a gestão de Supply Chain com clientes em mais de 30 países e escritórios na América Latina, América do Norte, Europa e Ásia. Em plataforma exclusiva e completa, as soluções NeoGrid sincronizam a cadeia de suprimentos, trazendo como resultado a redução de rupturas (faltas) e, ao mesmo tempo, a redução de estoques.

Compartilhar

Comente este artigo