varejo e indústria

Como a tecnologia ajuda na colaboração entre varejo e indústria

Além da própria variação nas vendas ao consumidor final, outros fatores fazem com que a colaboração entre varejo e indústria seja crucial para ambos os setores. Se a produção é feita com base em uma previsão mais acurada da demanda, por exemplo, o uso dos recursos (materiais, tecnológicos e humanos) é otimizado.

Você tem a opção de ouvir o conteúdo, caso não tenha tempo para ler 🙂

Esse benefício para a indústria gera, por sua vez, um custo mais baixo e mais agilidade na entrega — o que é ótimo para o varejo. Essa relação é complexa e envolve diversos outros fatores, trazendo sempre impactos positivos ou negativos para todos os envolvidos. O que fazer, então, para promover uma colaboração mais eficaz?

Veja a seguir o papel fundamental que a tecnologia desempenha nesse contexto. Mostraremos os diferentes aspectos nos quais ela faz toda a diferença, explicando de que forma você pode colocá-la para trabalhar a favor de uma cadeia de suprimentos mais eficiente!

Integração de sistemas

Um primeiro ponto que merece destaque é a possibilidade de integrar sistemas variados. Um software de gestão de supply chain, por exemplo, permite visualizar indicadores que são de interesse tanto do varejo quanto da indústria. Estamos falando de uma ferramenta que centraliza as informações para que diferentes departamentos (e empresas) trabalhem de forma mais alinhada.

Uma solução interessante para esse processo é o Vendor Managed Inventory (VMI). Grosso modo, o sistema permite que o próprio fornecedor faça o gerenciamento do estoque do varejo. Assim, ele pode prever com antecedência as demandas reais e fazer entregas na hora certa. O varejo, por sua vez, vê seu estoque ser mantido em um nível mais adequado, evitando tanto a falta quanto o excesso de produtos.

Automatização de processos

Com a inserção estratégica da tecnologia, a colaboração entre varejo e indústria abre o caminho para a sincronização e automação da cadeia de suprimentos. O ponto é que as soluções fazem um uso mais inteligente dos dados captados nos diferentes níveis dos processos. Isso gera a sincronização, que se baseia em três pilares:

  • visibilidade;
  • integração;
  • planejamento e reposição.

A indústria e o varejo passam a compartilhar informações estratégicas para que ambos trabalhem mais alinhados. Dessa forma, os processos ocorrem de forma mais automatizada: é a demanda do consumidor final que dispara a produção de um novo lote de produtos.

Acompanhamento em tempo real

Mais do que simplesmente ter acesso aos dados coletados, a tecnologia permite um monitoramento em tempo real dos indicadores. Uma solução de gestão voltada ao estoque do varejo, por exemplo, pode oferecer um painel gerencial com gráficos de consumo em tempo real.

A automatização, por sua vez, acontece por meio da inserção de ferramentas que disparam pedidos. Já do ponto de vista do varejo, é possível adotar a mesma lógica em relação aos processos da indústria. Trata-se de um compartilhamento de informações que permite ao vendedor saber se o desempenho atual na produção dará conta da sua demanda.

Mensuração de resultados

Um dos grandes desafios da gestão da cadeia de suprimentos é mensurar resultados com eficiência. Relacionar desempenho, preços, prazos e custos tende a ser uma tarefa complicada, sobretudo sem o auxílio das ferramentas adequadas. Nesse contexto, a tecnologia entra como uma grande aliada dos gestores da indústria e do varejo.

Um software de gestão ajuda a captar e a organizar os dados no ponto de venda (PDV), fornecendo indicadores mais precisos e confiáveis para embasar as tomadas de decisão. A transformação digital que tantas empresas almejam alcançar exige esse tipo de iniciativa: coleta, armazenamento e processamento de dados de forma automatizada.

É cada vez mais comum o uso de soluções baseadas em Inteligência Artificial (IA) e Machine Learning, por exemplo, para prever a demanda dos produtos.

Otimização da gestão

Quando falamos de Indústria 4.0 e transformação digital, um aspecto da tecnologia que as empresas devem assimilar é sua capacidade de ir além das atividades repetitivas. Não se trata apenas de inserir uma máquina para realizar de forma mais eficiente um processo manual, mas de promover uma gestão automática da cadeia de suprimentos.

Mas, afinal, como isso pode ser feito? Para começar, pela automatização das tomadas de decisão. Tecnologias como as mencionadas acima (IA e Machine Learning) são capazes de correlacionar dados e fazer análises em um nível muito superior ao da mente humana de forma extremamente veloz.

Na prática, isso traz impactos significativos para a cadeia de suprimentos, chegando ao ponto de a própria movimentação dos clientes em uma loja ser registrada e analisada por um software. O gestor pode verificar quais espaços têm mais visibilidade, analisar o comportamento do consumidor e usar esse tipo de informação como base para uma estratégia de vendas mais efetiva.

Na indústria e no varejo, os dados coletados sistematicamente desempenham um papel mais relevante, fundamentando decisões a todo momento. Os resultados alcançados, então, não se baseiam em achismo, mas são frutos de análises constantes.

Segurança da informação

Tecnologias como a computação em nuvem e a virtualização de servidores permitem atualizar os bancos de dados e, com isso, melhorar a colaboração entre indústria e varejo. Alguns dos benefícios disso já foram citados, mas é interessante observar também os impactos na gestão da informação.

Afinal, uma das demandas atuais do mercado como um todo é a proteção de dados sigilosos e sensíveis, seja qual for o setor de atuação. Nesse contexto, a tecnologia aumenta a segurança da informação conforme integra sistemas e centraliza os dados, aumentando o controle de acessos dos gestores sobre esse ativo virtual das organizações.

Mesmo no caso de sistemas que falam línguas diferentes, um software como o Eletronic Data Interchange (EDI) faz a mediação entre as plataformas e integra os diferentes canais. Vale destacar que isso beneficia também a gestão de notas fiscais e outros documentos contábeis.

Tudo isso é possível graças a soluções tecnológicas voltadas à supply chain, o que nos leva à importância de um fornecedor confiável para essas ferramentas. Se o objetivo é automatizar processos e otimizar a relação entre a indústria e o varejo, é fundamental que as ferramentas aplicadas sejam absolutamente eficientes.

A Neogrid é referência nesse quesito, contabilizando mais de 130 redes de varejo (25 mil lojas) e 13 mil indústrias entre seus clientes. Suas soluções são desenvolvidas especificamente para lidar com as demandas da cadeia de suprimentos em tempos de transformação digital, como visibilidade, segurança, automatização em alto nível e otimização da gestão.

Essa parceria pode levar à sua empresa os benefícios detalhados. Então, se você quer promover a colaboração entre varejo e indústria por meio de soluções tecnológicas que melhorem os seus resultados, fale com quem mais entende do assunto: entre em contato com a Neogrid e veja de que forma nossas soluções podem ser aplicadas em sua empresa. Nossos especialistas estão prontos para tirar suas dúvidas!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Comente este artigo