Como diminuir e evitar a ruptura nos pontos de venda?

A ruptura, indicador que mostra a porcentagem de produtos em faltas nos pontos de venda, chegou a marcar 9,81% em setembro de 2016. Esse número, elevado quando comparado aos índices históricos de 8%, pode acarretar no baixo giro de estoque e impactar diretamente na perda de vendas, tanto da indústria quanto do varejo. Isso porque quando o consumidor não encontra o produto desejado na gôndola ele tem duas alternativas: buscar o mesmo item em outra loja ou levar o produto de outra marca.

Para evitar esse prejuízo e reduzir a falta de produtos na gôndola, há dicas importantes que devem ser considerados na gestão da cadeia de suprimentos. Veja quais são elas:

1 – Fique atento à execução nas lojas

Problemas operacionais no varejo, como a reposição de estoques nas gôndolas, são um dos principais fatores que causam a ruptura. Muitas vezes o produto está no fundo da loja, mas não foi reposto na prateleira – e isso gera perda imediata da venda. Por esse motivo, definir estratégias e critérios para a reposição, especialmente quando houver promoções de determinados produtos, e organizar os processos internos das lojas é fundamental para evitar faltas.

2 – Planeje a reposição de estoques nos PDVs (lojas e distribuidores)

Além da execução interna nas lojas, é importante planejar a reposição entre indústria e varejo para garantir que a ruptura seja reduzida. Nesse processo, é importante acompanhar o sell-out para realizar a reposição de estoque nos pontos de venda, já que é a demanda do consumidor final que dita o ritmo de toda a cadeia de suprimentos.

3 – Realize a colaboração com seus parceiros de negócio

Gerenciar estoques diante de grandes números de produtos e poucas informações é um desafio. Por isso, a parceria entre os players da cadeia de suprimentos, ao compartilhar informações de estoque e vendas, pode reduzir – e muito – a falta de produtos nos PDVs. Se o varejo compartilha diariamente informações de consumo de estoques com a indústria, ela pode acompanhar quando seu produto chegar ao nível mínimo acordado entre as partes para que possa fazer a reposição nas quantidades adequadas, no momento certo, e evitar faltas. Ao compartilhar informações, é possível também monitorar se as ações tomadas estão gerando efeito, e assim direcionar, de forma colaborativa com o varejo, as ações para lojas onde a ruptura é maior.

4 – Tenha um software de gestão de estoque

Para tornar as ações anteriores mais assertivas – e até viáveis, dependendo do caso – é necessário aderir a um software de gestão de estoques. Essas ferramentas têm integração com o sistema vendas das empresas e permitem realizar o gerenciamento de estoques a partir de relatórios diários de informações com os principais casos de ruptura, por produto e por loja. Com esses dados em mãos, é possível apoiar a tomada de decisão, com ações preventivas e em tempo hábil, e manter o produto nas prateleiras com pouco esforço, gerando ganhos para a indústria, para o varejo e para o consumidor final.

Quer saber mais sobre soluções para evitar a ruptura? Entre em contato: marketing@neogrid.com

Autor

A NeoGrid é uma empresa brasileira de soluções para a gestão de Supply Chain com clientes em mais de 30 países e escritórios na América Latina, América do Norte, Europa e Ásia. Em plataforma exclusiva e completa, as soluções NeoGrid sincronizam a cadeia de suprimentos, trazendo como resultado a redução de rupturas (faltas) e, ao mesmo tempo, a redução de estoques.

Compartilhar

Comente este artigo