Prepare seu estoque para produtos sazonais?

Natal, Páscoa e Dia dos Namorados são exemplos de datas comemorativas com forte impacto no mercado. No entanto, não se trata apenas de um momento em que o consumidor decide ir às compras. Ao longo do ano, a boa gestão dos produtos sazonais pode fazer toda a diferença entre um faturamento saudável e um deficitário.

No entanto, é natural que o varejista se depare com algumas dúvidas ao lidar com essa questão. Afinal, o que caracteriza a sazonalidade de um produto? Como identificar esses períodos? É possível faturar o ano inteiro por meio de uma boa gestão desses produtos?

Neste post, você encontrará as respostas para essas e outras perguntas. Confira!

O que é a sazonalidade de um produto?

O termo sazonal faz referência à periodicidade de algo com base nas estações do ano: outono, inverno, primavera e verão. Quando aplicado ao mercado, o conceito diz respeito aos períodos específicos em que um produto costuma ser mais vendido — e isso pode variar não só com as estações, mas de acordo com datas comemorativas e outros fatores sociais e econômicos.

Os exemplos mais comuns são as alternâncias na indústria da moda entre as estações (linhas de outono/inverno e primavera/verão) e os produtos alimentícios vendidos em feriados como Natal e Páscoa (panetones e ovos de chocolate, respectivamente). Isso sem falar, é claro, das grandes vendas de itens para presente em algumas dessas datas.

São fatores diversos (climáticos ou sociais, por exemplo) que influenciam no mercado. Por isso, levar em conta a sazonalidade dos produtos é algo fundamental para qualquer varejista que almeja ter bons números de vendas e um fluxo de caixa saudável.

Como identificar os períodos sazonais?

Para começar, é importante identificar os períodos sazonais de cada produto que você oferece. Portanto, faça uma pesquisa de mercado e verifique com a máxima precisão possível os momentos de subida e declínio das vendas. Vale destacar que empresas como supermercados, que trabalham com variedades muito grandes de produtos, devem fazer um levantamento completo para todos eles.

Em alguns casos, uma loja toda pode ter como base um mix de produtos focados em um único período — uma sorveteria, por exemplo. No entanto, é essencial estar atento à sazonalidade desse mercado e, principalmente, realizar um estudo do comércio da região para saber se o ritmo de vendas fora do período sazonal será capaz de manter o saldo da empresa positivo.

O comércio de turismo no litoral sul e sudeste do Brasil, por exemplo, tem seu grande ápice nos períodos de férias, principalmente no verão. No entanto, a queda é tão grande no restante do ano que os comerciantes informais em geral têm outras ocupações fora do período com maior volume de turistas.

No varejo, o principal objetivo de identificar os períodos sazonais é promover um bom planejamento de estoque, como mostraremos a seguir.

Como lidar  com produtos sazonais?

Previsão de demanda

O varejista que estabelece um controle eficaz sobre a sazonalidade de seus produtos tende a sofrer muito menos com a falta e, principalmente, com o excesso de produtos em estoque.

O ideal é que o varejo faça esse controle de estoque com base no real consumo, repondo seus estoques de acordo com a demanda. Na prática, isso significa que as empresas devem comprar somente quando necessário, em vez de ter grandes volumes e correr riscos.

No entanto, a sazonalidade é um ponto fora da curva, pois implica em picos de vendas em determinados momentos. Diferente do dia a dia, em que eles vão monitorando as vendas e identificando a hora de repor, os varejistas já sabem de antemão que venderão uma grande quantidade de ovos de chocolate na Páscoa, por exemplo.

Então, é preciso dar um tratamento diferenciado à situação. Uma forma de fazer isso é adotando uma estratégia mista. De um lado, temos o reabastecimento com base na demanda e, do outro, um trabalho de previsão de demanda.

previsão de demanda acaba sendo um ponto importante, pois mostrará o quanto vale a pena investir, qual o momento certo para a compra e até quando vale a pena realizar um novo pedido caso as vendas sejam muito altas. Isso nos leva a um segundo ponto importante.

No geral, nenhum produto tem uma sazonalidade extremamente exata. É possível calcular a previsão de demanda de algumas semanas (como no Natal) ou no máximo dias (como no Dia dos Namorados) de forma mais assertiva. No entanto, há sempre uma margem de erro a ser considerada.

Isso faz com que a gestão de estoque não seja 100% adequada à demanda real da sua loja. A previsão de demanda trabalha, então, com o histórico de vendas. A empresa olha para dados de anos anteriores, como o Natal passado.

Dessa forma, você pode calcular com mais precisão o momento de aumento das vendas e o quanto elas devem subir, tendo como base o mesmo período do ano anterior. É claro que para dar mais eficiência a essa estratégia é importante olhar também para outros fatores como a situação econômica do país.

No momento atual do mercado brasileiro, por exemplo, a tendência é que muitos setores do varejo tenham um aumento significativo nas vendas, já que o poder de compra do consumidor vem gradativamente voltando a crescer.

Mas onde entra o trabalho com a real demanda? Pode funcionar a partir de um conceito chamado de agregação de estoque. O varejo estoca o centro de distribuição com base na previsão de demanda. Daí em diante, as lojas são abastecidas conforme a necessidade, ou seja, de acordo com o consumo.

Claro que existem exceções, como o peru de Natal. Não é um produto que pode ficar muito tempo estocado no centro de distribuição, pois é perecível. Então, ele não entra nesse formato misto de trabalhar a reposição.

O ideal é que a integração entre o varejo e a indústria esteja afinada, permitindo que o reabastecimento seja feito no ritmo do consumo.

Fornecedores confiáveis

É essencial contar com fornecedores confiáveis e estabelecer boas parcerias com eles. Promover uma boa comunicação para que eles estejam cientes das suas demandas futuras é uma ótima estratégia para garantir que eles estejam preparados para entregar no prazo — e até mesmo conquistar algum desconto.

Como você pôde ver, são questões que estão longe de ser muito complexas. Basta estabelecer um planejamento, estudar o mercado e entender mais a fundo o comportamento do consumidor na compra dos seus produtos.

Ao adotar essas práticas como parte da sua rotina, a gestão de produtos sazonais se transformará em uma importante ferramenta para compor sua estratégia de negócios. Coloque-a em prática e conquiste resultados cada vez melhores!

Gostou do post? Então inscreva-se em nossa newsletter e receba gratuitamente mais conteúdo sobre o tema!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Comente este artigo