Como fazer a redistribuição de estoque para a Páscoa?

Em períodos de aumento da demanda sobre determinados produtos, como acontece na Páscoa, a redistribuição de estoque se torna uma tarefa importante  dentro do contexto logístico do varejo e da indústria. Isso porque, o correto nivelamento e alocação dos produtos é a base para operações mais consistentes, ajustadas às demandas disparadas pelo consumidor.

Nesse contexto, varejo e indústria precisam atuar de maneira totalmente alinhada, garantindo a disponibilidade dos itens em quantidade e no local adequado, evitando desequilíbrios na composição de estoques de diferentes pontos de venda, rupturas e, consequentemente, interferências negativas na experiência de compra do consumidor.

Ciente da importância da redistribuição de estoque para atender demandas sazonais, preparamos este artigo para esclarecer alguns pontos estratégicos que podem ajudar nessa redistribuição durante a Páscoa. Acompanhe!

Como períodos sazonais afetam as operações logísticas do varejo?

A sazonalidade é, sem dúvida, um dos pontos de grande atenção dentro das atividades do varejo e da indústria. Em datas sazonais, por exemplo, é comum haver uma alteração substancial no panorama de vendas, seja pelo acréscimo no volume delas, seja pelo aumento na demanda sobre itens específicos.

Esse tipo de situação foge da normalidade das operações. Logo, indústria e varejo precisam se preparar para lidar com o período, focando os esforços e recursos nos pontos certos, a fim de manter a oferta dos produtos em níveis condizentes com as demandas.

Na Páscoa, é comum haver um aumento significativo no consumo de ovos de chocolate e afins. Ou seja, sobe a demanda de itens específicos, o que requer ainda mais performance por parte da indústria para conseguir suprir os varejos de forma adequada.

Mais do que produzir em maior quantidade, é preciso otimizar a distribuição dos produtos., entendendo  É preciso entender as necessidades de cada PDV, de forma que se consiga compor estoques precisos e equilibrados, para que controlar nem excessos e evitar nem faltas sejam verificados antes, durante e depois do período sazonal.

O que é a redistribuição de estoque?

Na prática, a redistribuição de estoque está relacionada às diferentes ações que ajudam indústria, varejo e distribuidores a entenderem qual a melhor dinâmica para a distribuição dos produtos entre as lojas e centros de distribuição.

Em outras palavras, é o esforço direcionado à otimização da cadeia logística interna, o qual garante que, em períodos de aumento de demanda, como a Páscoa, os estoques sejam supridos da maneira ideal , sem que, por exemplo, um varejo sofra com a falta do produto, enquanto outro verifica um excesso em seu estoque.

A redistribuição do estoque funciona a partir do estudo das operações do varejo. Dados de históricos de consumo e informações de vendas coletadas das interações nos pontos de venda subsidiam as decisões de redistribuição.

Pensando no exemplo da Páscoa, imagine que uma rede de varejo comprou uma determinada de quantidade de chocolate pensando no aumento das vendas nesse período. Os gestores sabem que trabalharão com algum excesso e precisam controlá-lo, ao mesmo tempo em precisam evitar a ruptura.

Entra, então, o trabalho da redistribuição. As lojas têm diferenças nos níveis de vendas. Determinado item podem vender mais em uma e menos em outra. Atentos a isso, os gestores redistribuem os produtos entre as unidades.

Como indústria e varejo podem fazer a redistribuição?

A chave para uma distribuição de estoque equilibrada está na leitura das demandas. Indústria e varejo precisam entender o período de sazonalidade e, mais do que isso, antever variáveis que afetarão a dinâmica das vendas.

É preciso  trabalhar com dados concretos, históricos de vendas e projeções, níveis de estoque, ações de concorrentes, preços, informações de fornecedores, ou seja, o máximo de informações possíveis e que ajudarão na tomada de decisão.

O reforço operacional oferecido pelos dados ajuda diretamente os gestores e líderes de indústrias a compreenderem as necessidades de cada varejo, o que torna a distribuição da produção mais eficiente.

Esse fator é importante, pois, por se tratar de um período sazonal, aumentar a produção da indústria, por si só, não é garantia de bons resultados no atendimento das demandas. Isso porque pode acontecer de alguns PDVs comercializarem todo o seu estoque, enquanto que em outros ocorram sobras — o que implicará redução da margem de lucro ou até desperdício dos produtos, já que após a Páscoa, a venda de ovos de chocolate e afins reduz drasticamente.

Como a Neogrid pode ajudar a solucionar esse tipo de demanda?

A Neogrid, empresa especializada na gestão automática da cadeia de suprimentos, com o apoio da tecnologia, auxilia varejos, indústrias e distribuidores a desenvolverem operações mais eficientes, dinâmicas e ajustadas às exatas necessidades do consumidor. A partir de soluções modernas, por exemplo, é possível aumentar a Inteligência dos dados e otimizar a redistribuição de estoque para a Páscoa.

Nesse ponto, a solução DRP — Planejamento de Distribuição é a ferramenta ideal para o fortalecimento da gestão dos estoques na cadeia interna da indústria, varejo ou distribuidor. Com o apoio dessa ferramenta, esses agentes conseguem realizar leituras precisas das operações, implementando reações rápidas ao consumo, o que é a base para que faltas e excessos nos estoques não ocorram.

A solução de distribuição da Neogrid é seccionada em três principais pilares que se comunicam:

  • previsão estatística: utiliza dados obtidos do perfil de vendas, sazonalidade, tendências e outliers;
  • gestão de eventos: auxilia no controle de impacto real de cada evento, assim como o seu cadastro;
  • modelos de reposição: reforça a reposição do estoque a partir de diferentes metodologias.

Na prática, com o DRP, a Neogrid consegue oferecer vantagens competitivas valiosas em períodos sazonais, em que uma maior eficiência é convertida em maior satisfação do consumidor e maior rentabilidade para os negócios. A exemplo, podemos citar os seguintes impactos positivos:

  • aumento da rentabilidade, com estoques girando e em níveis exatos;
  • aumento do nível de serviço com fornecedores;
  • maximização do fluxo de caixa;
  • redução de trabalhos operacionais e reforço de ações estratégicas, baseadas em dados;
  • redução nos custos logísticos e de armazenagem, dado a melhor eficiência da distribuição que a solução garante.

Por fim, a redistribuição de estoque para a Páscoa, como vimos, é uma ação que está diretamente associada à eficiência operacional percebida pelo consumidor. Assim, o planejamento adequado das operações, os ajustes realizados na distribuição e correta alocação dos produtos entre os diferentes PDVs garantem a disponibilidade dos itens necessários no lugar certo e em tempo adequado.

Então, gostou deste artigo? Ficou interessado pelos diferenciais e possibilidades oferecidos pela solução Neogrid? Faça o teste gratuito do nosso software e confirme, na prática, o seu potencial!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Comente este artigo