Como insights do varejo otimizam sua gestão de estoque

Ninguém duvida que para se conquistar uma eficiente gestão de estoques deve-se ter uma sincronia perfeita entre indústria e varejo. Mas o “xis” da questão está exatamente em garantir que uma operação tão complexa como essa reduza a oscilação entre excessos e faltas de produtos no ponto de venda (PDV). O melhor caminho para vencer esse desafio é, sem dúvidas, por meio da colaboração e compartilhamento de indicadores qualificados de estoque e vendas.

Com esses insights em mãos, o primeiro passo da indústria e do varejo é enxergar, com profundidade, as possíveis causas da ruptura. Somente sabendo se as faltas de produtos ocorreram por dificuldades operacionais nas lojas ou por falhas na reposição de estoques nos pontos de vendas será possível estabelecer ações que possam contorná-la e aumentar a disponibilidade de itens nas lojas.

Outro passo importante para a gestão de estoques é evitar que o varejo acumule mercadorias e mantenha o capital imobilizado. Ao acompanhar o indicadores como cobertura de estoque, por exemplo, é possível saber em quanto tempo o estoque deixará de atender a demanda do consumidor. Dessa forma, é possível adequar a produção de acordo com o real consumo, além de avaliar a real necessidade de fazer novos pedidos.

Mas você pode se perguntar: como saber exatamente a disponibilidade de um item específico, com tantos estabelecimentos, produtos que preciso gerenciar? É aí que entra a tecnologia especializada em supply chain focada em visibilidade do varejo. Com ela, pode-se obter informações precisas para tomada de decisão estratégica a partir de três recursos imprescindíveis:

Relatórios operacionais para execução do PDV: direciona a equipe comercial fornecendo Informações completas referente à performance dos produtos nos últimos 90 dias, bem como informações de estoque. Além disso, informa o status do item para loja e para o centro de distribuição (caso haja), se o item está ativo ou não e se existem pedidos colocados para estes itens, orientando para uma ação proativa que evita rupturas e estoques virtuais evitando a perda de vendas.

Relatórios OSA (On Shelf Availability): além de trazer o índice de disponibilidade dos itens nas prateleiras e as causas raízes da sua falta, os Relatórios OSA mostram também a venda estimada por produto, por loja e por dia, os efeitos da indisponibilidade de mercadoria sobre as vendas e as ações para corrigi-la. Por meio de análises como essa, é possível gerir melhor a cadeia de suprimentos, reduzindo de forma significativa as perdas. Servindo de grande apoio para as equipes de campo, os relatórios permitem estabelecer a colaboração entre indústria e varejo para melhorar o índice de disponibilidade dos produtos.

Business Intelligence (BI): por meio de uma interface visual intuitiva e flexível, é possível interpretar um grande volume de dados.  Muito utilizada pelas equipes de trade, o BI é uma poderosa ferramenta que traz inúmeras possibilidades para a livre criação de dashboards gerenciais e consultas, com objetivo de aprofundar a análise de desempenho dos negócios. Exemplos: acompanhar a performance de lançamento de novos produtos ou, ainda, identificar o melhor mix de produtos por região.

Contando com esses recursos, indústria e varejo ganham um forte aliado para a gestão de estoque, evitando rupturas e reduzindo as chances de sofrer prejuízos decorrentes de gôndolas desabastecidas, assim como evitar excessos desnecessários de estoque.

Se deseja conhecer ações para se diferenciar dos concorrentes, vale a pena nos seguir nas redes sociais. Estamos no FacebookTwitterGoogle+YouTube e LinkedIn.

A busca pelo conhecimento é peça-chave para evoluir!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Compartilhar
Comente este artigo