Como melhorar o indicador de ruptura?

Ruptura é o índice que mostra a porcentagem de produtos em falta em relação ao total de itens de uma loja. Só no mês de setembro de 2015, a perda de vendas nos supermercados devido à falta de produtos nas prateleiras foi equivalente de 3,2%, o equivalente a R$ 800 milhões se tomarmos como base os valores de venda do mercado supermercadista em 2014 – que faturou cerca de R$ 300 bilhões no ano, de acordo com dados da Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS).

Essa falta de produtos na cadeia de suprimentos impacta os consumidores, que deixam de comprar o produto porque o mesmo não está na gôndola. Perde a indústria, perde o varejo e perde o consumidor final. Para evitar o cenário, a recomendação é que a indústria e o varejo unam forças em um trabalho colaborativo para reduzir ao máximo a ruptura no varejo.  Mas como garantir a presença dos produtos na prateleira?

Existem boas práticas e tecnologias para gerenciar os indicadores de ruptura. Com o apoio de uma boa solução tecnológica de gestão da cadeia de suprimentos, é possível tomar ações para evitar a falta de produtos.

Uma das ações é o monitoramento do nível de estoque dos produtos da indústria no varejo. Por meio de relatórios de reposição de estoque, é possível saber de imediato quais produtos são os mais consumidos, qual loja mais vende determinado item e qual a cobertura de estoque. Como resultado, você identifica com antecedência uma possível falta de produto na gôndola do ponto de venda e consegue propor ao varejista a reposição do produto em tempo hábil, sem causar a ruptura e sem prejudicar o consumidor final.

Uma segunda ação, e de igual importância, é identificar os produtos que estão com estoque virtual (indicador que mostra a diferença entre o número de produtos que consta no sistema de informações da loja e a quantidade que, fisicamente, está disponível para venda ao consumidor). No relatório de reposição de estoques é possível destacar os itens que possuem estoque virtual e tomar ações focadas nesses produtos – como entregar o relatório ao promotor de vendas da indústria que está presente no varejo para checar se há estoque disponível para esses produtos no fundo da loja.

A terceira ação é motivar dentro do varejo a contagem de estoque físico dos itens marcados com estoque virtual, e ajustar a quantidade no sistema de gestão de estoques. O promotor de vendas pode ter uma ação proativa na contagem dos itens em gôndola, e assim promover o ajuste de forma colaborativa.

Para somar ainda mais na gestão dos indicadores de ruptura, é importante ter relatórios que mostrem a tendência dos indicadores de ruptura por região e por loja. Com estes dados em mãos é possível monitorar se as ações tomadas estão gerando efeito, e assim direcionar, de forma colaborativa com o varejo, as ações para lojas onde a ruptura é maior. Para apoiar a tomada de decisão do responsável pelo abastecimento na loja, o ideal é utilizar um relatório diário com os principais casos de ruptura por produto e por loja.

A tecnologia aplicada a boas soluções de gestão da cadeia de suprimentos aliada ao comportamento colaborativo ajuda a melhorar de forma fenomenal os indicadores de ruptura na cadeia. Com ações preventivas e em tempo hábil, é possível manter o produto nas prateleiras com pouco esforço, gerando ganhos para a indústria, para o varejo e para o consumidor final.

Autor

Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).

Compartilhar

Comente este artigo