Como os novos hábitos de consumo impactam a gestão da supply chain?

Não há dúvidas de que a transformação digital alterou — e continua alterando — muitos dos antigos hábitos do consumidor. Contudo, essa não é a única justificativa para as significativas mudanças no panorama de consumo moderno. As questões econômicas, a sustentabilidade e a própria cultura da sociedade também são outros fatores que interferem, exigindo das empresas uma nova postura, sobretudo na gestão da supply chain.

Hoje, mais do que nunca, a simples oferta de um produto ao consumidor requer todo um estudo prévio, uma avaliação do seu comportamento, do seu perfil e, principalmente, das suas reais necessidades. Ou seja, é preciso entregar propostas cada vez mais alinhadas às demandas do consumidor, o que requer toda uma reengenharia na cadeia de suprimentos para não perder tempo e recursos com ações pouco efetivas.

Sabendo da importância desse tema para o sucesso da sua empresa, preparamos este artigo abordando a respeito da mudança dos hábitos de consumo das pessoas e como essa realidade impacta a gestão da supply chain nos negócios. Acompanhe!

Os novos hábitos de consumo no cenário atual

A conectividade do mundo moderno e a facilidade de acesso à informação, somada às mudanças econômicas e culturais dos últimos anos, são fatores motivadores das intensas mudanças nos hábitos de consumo das pessoas.

Hoje, comprar se tornou uma tarefa muito mais racional, já que a variedade de opções no mercado e a facilidade de acesso à informação deu ao consumidor muito mais poder de escolha, aumentando também o seu nível de exigência.

No mesmo sentido, a questão da sustentabilidade junto das fragilidades econômicas, pautas recorrentes atualmente, frearam o impulso consumista das pessoas, tornando-as muito mais sensíveis a elevações de preços, por exemplo.

Nesse cenário, as empresas precisam se reorganizar para conseguir entregar valor às suas ofertas, oferecendo aos diferentes perfis de clientes aquilo que eles buscam. A exemplo, embora a qualidade seja importante em um produto, a depender do perfil do shopper, o preço pode acabar desestimulando a compra, fazendo com que ele migre para outro item similar e mais barato.

Assim sendo, indústria, varejo, fornecedores e demais agentes integrantes da cadeia de suprimentos precisam ser capazes de fazer esse tipo de leitura do consumidor. Afinal, é ele quem dispara toda a cadeia e direciona as empresas em suas operações, de modo a se posicionarem melhor no mercado e oferecerem aquilo que o seu público reclama.

A importância da gestão da supply no panorama moderno de consumo

Nesse cenário de transformações, a gestão de supply chain tem um papel fundamental para o sucesso nas entregas. Hoje, em razão da interoperabilidade das empresas e da necessidade de se compor cadeias de suprimentos mais extensas e complexas, qualquer mudança disparada pelo consumidor deve ser acompanhada por todos os elos da cadeia.

Nesse sentido, a gestão da cadeia de suprimentos é essencial para ajustar todos os agentes, ajudando a aumentar a eficiência operacional em diversas áreas. A exemplo das que listamos a seguir. Confira!

Reação à demanda do consumidor

Em razão da dinâmica acelerada do mercado, as empresas precisam estar atentas ao ritmo de consumo e aos padrões deste, já que são indicadores essenciais para a tomada de decisão. Nesse contexto, o acesso a dados concretos, estatísticos, em tempo real, de vendas, assim como o conhecimento sobre o nível de demanda disparado pelos consumidores, são informações estratégicas e indispensáveis para que as empresas possam reagir de maneira mais ágil às mudanças e continuar entregando valor para os seus clientes.

Gestão de performance

Outra grande vantagem da supply chain é a possibilidade de se acompanhar a performance geral da cadeia de suprimentos. Com processos sincronizados e transparentes, é muito mais fácil acompanhar tudo que acontece do momento em que um produto chega do fornecedor até ser entregue ao cliente.

A verdade é que como existem diferentes agentes atuando em conjunto, é essencial que eles estejam alinhados em termos de performance, para que gargalos não ocorram e acabem prejudicando o fluxo de atividades do restante dos processos. Nesse ponto, a gestão de supply chain ajuda a garantir uma maior visibilidade, evitando situações prejudiciais.

Fluxo físico

O ideal da supply chain é alinhar todos os seus agentes para estabilizar o fluxo produtivo em um nível que atenda as demandas dos consumidores. Assim, quando bem gerida e executada, gargalos, erros, atrasos e outros problemas se tornam ocorrências raras.

Dessa forma, o fluxo físico de fornecimento, produção e entrega se mantém contínuo. Isso significa que todos os elos da cadeia conseguem cumprir bem sua função e contribuir para que o cliente final seja atendido de maneira adequada.

Ainda que mudanças ocorram no perfil de consumo dos clientes, a cadeia precisa se ajustar rapidamente, evitando máculas à imagem do negócio e perdas financeiras.  

Colaboração

A colaboração é outro atributo bastante reforçado com a gestão de supply chain. Nesse ponto, a troca de informações entre fornecedores, varejo, indústria e parceiros, por exemplo, acontece de maneira muito mais eficiente, a partir de sistemas automatizados, e que facilitam a compreensão da cadeia de uma forma geral.

Essa possibilidade de entender a cadeia de forma mais ampla garante uma colaboração mais efetiva de cada um dos seus elos e em cada uma das suas fases. Ou seja, as mudanças avaliadas pelo varejo no seu perfil de vendas podem ser rapidamente repassadas à indústria e aos fornecedores, de modo a compatibilizar as operações à nova realidade. Assim, ajustes como os seguintes podem ser feitos:

  • alteração nos níveis de estoque;
  • mudança nos cronogramas de aquisição;
  • avaliação do giro de produtos;
  • reposição de estoques em maior ou menor tempo;
  • reformulação de acordos com fornecedores;
  • mudanças na ênfase da produção;
  • alteração na distribuição da produção da indústria.

Esse tipo de postura, por exemplo, evita que a empresa perca recursos e tempo com a execução de atividades que não mais condizem com as necessidades do consumidor. Por outro lado, possibilitam aos diferentes atores da cadeia de suprimentos focarem seus esforços naquilo que é mais relevante para o público.

Por fim, como vimos, a gestão da supply chain exerce um papel crucial nas atividades empresariais. Essa prática, além de integrar os diferentes atores ao mesmo ideal de eficiência, contribui para que a cadeia de suprimentos consiga se adaptar aos novos hábitos de consumo, tão logo eles sejam identificados na ponta final da cadeia.

Então, o que achou deste artigo? Compartilhe suas impressões ou eventuais dúvidas conosco. Deixe seu comentário abaixo!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Compartilhar
Comente este artigo