Como planejar a compra de matéria-prima?

Imagine todo o departamento comercial de uma indústria comprometido com a venda e com os prazos de entrega de um cliente diante da fábrica parada por não ter matéria-prima para a produção do pedido. Esse é um problema comum enfrentado pelas empresas de manufatura.

Isso porque planejar a compra de insumos não é tarefa fácil. Na verdade, é um dos processos mais críticos da indústria. Mas sincronizar, de forma colaborativa, indústria, varejo e fornecedores pode ser a solução para amenizar esse dilema. O Vendor Managed Inventory (VMI), também conhecido como Estoque Gerenciado pelo Fornecedor, realiza essa interação entre os elos e pode ser aplicado também para prover inteligência para a compra de matéria-prima.

Entenda como uma solução de VMI facilita esse processo:

Definir quanto, quando e com quem comprar matéria-prima 

Toda a produção da indústria tem início na compra de matéria-prima. E a maior dificuldade desse processo é: definir quanto, quando e com quem comprar a matéria-prima de acordo com o valor gerado pela consumo do produto fabricado. Isso porque o consumo de cada ponto de venda nunca será o mesmo ao longo do tempo e, muito menos, o mesmo em cada loja. Para atender a demanda e planejar a compra de matérias-primas de forma mais assertiva é preciso contar com informações do sell-out, ou seja, da demanda do consumidor final – que são fornecidas pelo varejo por meio do VMI.

Fluxo de compra de insumos mais inteligente e assertivo 

Com o VMI, a partir de fornecedores homologados, são estabelecidas regras de negócio para reposição automática com aspectos previamente especificados em contrato. Com isso, indústria e fornecedor planejam o reabastecimento levando em consideração as seguintes questões:

  • lote de reposição;
  • leadtime (tempo entre o momento do pedido do cliente até a chegada do produto no mesmo);
  • unitização;
  • conversão de unidades e medidas;
  • questões de empacotamento = unitização;
  • nível máximo e mínimo de armazenagem;
  • estoque de segurança;
  • nível de serviço;
  • sazonalidade;

Ao considerar automaticamente uma série de variáveis relevantes em seu cálculo, que atendam a todas as necessidades da indústria, a reposição dos insumos pode ser feita com autonomia pelos fornecedores.

Por meio do VMI é possível estabelecer um fluxo de compra dos insumos com previsão de vendas com base na demanda real. Olhando lá para a ponta da cadeia de consumo por dia, semana e mês é possível mensurar a compra de matéria-prima sem faltas e sem excessos, minimizando os outliers (pontos atípicos de uma média histórica que leva a prejuízos na interpretação dos dados) e entendendo o comportamento e a sazonalidade. Dessa forma, você poderá planejar a compra de matéria-prima para a indústria de forma mais assertiva, com estoques melhor dimensionados.

Autor

Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).

Compartilhar

Comente este artigo