Como prevenir a perda de produtos no varejo?

Diante da necessidade diária de se gerir um vasto mix de mercadorias em suas atividades, a perda de produtos nos varejos pode se tornar um problema recorrente nesse segmento, especialmente quando ações preventivas não são adotadas no estabelecimento. Por essa razão, esse tipo de ocorrência desponta como um dos grandes desafios operacionais.

A perda de produtos, além de implicar prejuízos financeiros ao caixa da empresa, também interfere negativamente na sua imagem, sobretudo quando produtos em condições impróprias são ofertados aos consumidores, como é o caso do prazo de validade expirado.

Por isso, sabendo da importância desse tema para o sucesso de um varejo, preparamos este artigo listando algumas dicas para prevenir a perda de produtos, garantindo mais eficiência e economia às suas atividades. Acompanhe!

Perdas mais comuns nos varejos

Inicialmente, é importante que saibamos que, na rotina de um varejo, diversos podem ser os fatores que contribuem para a perda de produtos. Assim, conhecer a origem do problema é o primeiro passo para conseguir solucioná-lo com precisão.

Nesse sentido, desenvolver um bom programa de prevenção de perdas depende de uma avaliação completa do ambiente, considerando todos os processos em que falhas podem acontecer e gerar esse desajuste.

Em regra, as perdas nos varejos podem ser classificadas em dois principais grupos, como veremos a seguir. Confira!

1. Perdas conhecidas

As perdas conhecidas, também chamadas de perdas operacionais, na prática, são resultantes de inconsistências nos processos e falhas gerenciais ocorridas diariamente. Ou seja, se tratam de falhas internas, previsíveis, relacionadas aos próprios processos da empresa na manipulação e gestão dos produtos.

Nesse sentido, estão inseridas nessas perdas as ocorrências como as que listamos adiante. Veja!

Danos em razão da manipulação dos produtos

Ocorrem comumente na hora de deslocar com as mercadorias no interior do estabelecimento ou no estoque. A exemplo, podemos citar a quebra de produtos frágeis, avarias em embalagens, entre outras situações.

Na maior parte dos casos, esse tipo de problema se relaciona ao despreparo dos profissionais que lidam diretamente com a manipulação das mercadorias, ou mesmo com a falta de planejamento físico do ambiente e de disposição dos produtos.

Expiração do prazo de validade

Aqui, o que acontece é uma desorganização no controle do estoque ou das mercadorias dispostas nas gôndolas. Em razão disso, por exemplo, a reposição dos produtos pode acontecer de maneira equivocada, sem avaliar que é preciso priorizar os produtos mais antigos para que eles girem antes do prazo de validade expirar.

Deterioração de produtos perecíveis

Devido às próprias características, produtos perecíveis demandam uma gestão mais rigorosa, atendendo não só prazos de validade, mas condições de armazenamento, temperatura e transporte.

Nesse sentido, é muito comum que esse tipo de produto acabe se perdendo em razão de contaminação e falhas na manipulação dentro da loja. Além disso, erros nas estratégias logísticas acabam gerando esse problema também. Em muitos casos, os varejos têm dificuldade em encontrar um ponto de equilíbrio no fornecimento de itens como carnes e hortifrútis, que precisam girar rapidamente.

2. Perdas não identificadas

Como o próprio nome indica, as perdas não identificadas são aquelas que não podem ser previstas pelos gestores. Dessa forma, são perdas que ocorrem de maneira oculta, sendo detectadas apenas quando da realização de inventários.

Confira, a seguir, quais ocorrências se enquadram nessa categoria de perdas!

Perdas por furtos

Um dos principais exemplos de perdas não identificadas são os furtos. A depender da recorrência e tipo de produto subtraído, essa situação pode gerar graves prejuízos para o varejo, desajustando suas finanças.

Os furtos podem ser cometidos tanto por pessoas ligadas à empresa — como funcionários e parceiros —, quanto por clientes e visitantes. Por isso, é fundamental dar uma atenção especial para a segurança e vigilância do estabelecimento, seja nas áreas comuns, seja nas áreas restritas.

Desvios e fraudes

Há casos em que algumas pessoas, aproveitando das fragilidades e acesso facilitado aos sistemas da empresa, acabam realizando fraudes. Um exemplo bastante comum é a passagem de produtos sem o devido registro, ou registro com código de um produto mais barato.

A importância de se evitar perdas

A prevenção de perdas de produtos no varejo é uma ação de grande relevância para o sucesso desse tipo de empreendimento. Em primeira análise, deve-se lembrar que toda e qualquer perda significa prejuízos diretos ao caixa da empresa, já que a mercadoria deixará de ser comercializada. Logo, evitar perdas é, também, evitar prejuízos.

Além disso, é preciso ter em mente que ações preventivas são mais baratas e eficientes quando comparadas a medidas repressivas. Nesse caso, por exemplo, treinar bem os operadores de equipamentos e máquinas, a longo prazo, pode sair mais barato do que repor mercadorias danificadas em razão de erros desses profissionais.

O que pode ser feito para evitar a perda de produtos

Como foi possível perceber, a perda de produtos está associada a uma série de fatores. Logo, existem diferentes ações que podem ser postas em prática para minimizar esse problema. A seguir, listamos algumas das principais para ajudar você nessa tarefa. Confira!

Realize um inventário

Embora a realização de inventários periódicos não reduza diretamente a perda de produtos, indiretamente, essa prática contribui para que os gestores tenham mais controle e visibilidade sobre todos os itens que compõem o estoque e o acervo da empresa.

Assim, quando executados com regularidade, o inventário ajuda a identificar as perdas e a tomar medidas mais pontuais para solucionar o problema. A exemplo, identificada a ocorrência de furtos pelo desajuste no inventário, a empresa pode optar por reforçar a sua segurança.

Treine seus funcionários

Uma das causas de perdas de produtos é a ineficiência dos profissionais que lidam com as mercadorias.

Por esse motivo, é essencial que o varejo tenha uma política de qualificação e capacitação dos seus profissionais, preparando-os para executar suas funções de maneira eficiente, sem danificar os produtos.

Aposte na tecnologia

Dada a necessidade de gerenciar uma grande quantidade de produtos, é muito importante que o varejo conte com o apoio da tecnologia nesse tipo de tarefa. Hoje, soluções especializadas ajudam empresas desse segmento em ações como:

Na prática, um bom software automatiza uma série de processos burocráticos. Ou seja, a solução traz mais eficiência e visibilidade aos gestores, o que facilita bastante o controle das mercadorias e ajuda a prevenir a perda de produtos. Agora que você já sabe o que pode ser feito para minimizar as perdas no seu varejo, não pare por aqui. Siga nossa empresa nas redes sociais e se mantenha informado sobre esse e outros temas relacionados. Estamos esperando você no Facebook, LinkedIn e Twitter!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Comente este artigo