inteligência artificial no varejo

Como usar inteligência artificial no varejo para aumentar vendas

Além de uma área de pesquisa científica, a Inteligência Artificial (IA) pode ser compreendida como uma tecnologia desenvolvida para emular certas capacidades da cognição humana. Trata-se de uma ferramenta extremamente relevante para as empresas, dado o seu potencial para solucionar problemas e otimizar processos. Mas, afinal, como podemos aplicar a inteligência artificial no varejo?

Você também tem a opção de ouvir o conteúdo 🙂

Em meio a outras inovações tecnológicas, a IA é um dos pilares da transformação digital. Não é à toa que estamos vendo sua presença se tornar cada vez mais comum nas organizações. Entre as principais aplicações da Inteligência Artificial, por exemplo, estão o Business Intelligence (BI) e o Machine Learning, dois conceitos muito utilizados para automatizar processos e tomadas de decisão.

Quer conhecer outras aplicações da inteligência artificial no varejo? Então, continue a leitura, pois explicaremos de que forma você pode utilizá-la para impulsionar as vendas de seu empreendimento.

Otimização do estoque

A Inteligência Artificial tem um impacto positivo de ponta a ponta na cadeia de suprimentos, mas o estoque é um expoente de como ela pode ser bem aproveitada. Desde sistemas de reabastecimento autônomos até softwares que calculam o momento exato de disparar um novo pedido, seu funcionamento é todo voltado à otimização dos processos.

Na prática, ela captura dados de real consumo das lojas e sugere o reabastecimento de acordo com a demanda, indicando a quantidade de produtos que deve ser comprada ou distribuída, especificando por cada item e loja.

Transformação da jornada do cliente

A Inteligência Artificial é uma das principais responsáveis por transformar a jornada de compras do cliente em algo único. Ela faz isso por meio de um cruzamento sistematizado de dados que permite uma abordagem mais personalizada aos consumidores. Em outras palavras, a empresa obtém um conhecimento relevante sobre o perfil dos clientes, podendo utilizá-lo para enriquecer a experiência com a loja.

Além do uso de dados, a IA pode ser utilizada para guiar a própria jornada no ambiente virtual (e-commerce). Se o cliente tem preferência por agilidade, o botão de compra pode estar sempre ali ao lado; se o perfil indica um gosto maior por informações, uma opção inteligente pode ser o link para uma análise do produto. Existem diferentes formas de promover uma navegação mais satisfatória.

Mapeamento do comportamento

Ainda no contexto da coleta de dados, o uso da Inteligência Artificial no varejo viabiliza o mapeamento do comportamento das pessoas. O objetivo é traçar o perfil dos clientes atuais e dos potenciais. Na prática, o objetivo é delinear o que chamamos de persona: o tipo de pessoa que está interessada nos seus produtos ou serviços.

Além disso, a IA ajuda a identificar em que etapa da jornada de compras cada indivíduo está. Dados de redes sociais e navegação na loja, por exemplo, podem mostrar que tipo de anúncios e páginas o cliente já visitou. Assim, você pode disparar uma campanha de marketing personalizada (por e-mail, propagandas em redes sociais, telefone etc.) e estabelecer um contato.

Em geral, o papel da Inteligência Artificial nesse processo é captar e cruzar dados de diferentes fontes (sua própria base de dados, redes sociais, entre outras). Depois, você seleciona um grupo com maiores chances de conversão e dispara as ações de marketing e vendas, garantindo um bom aproveitamento do investimento.

Retenção maior

A retenção é mais precisa com o uso da IA no varejo, como podemos observar com o exemplo de uma tecnologia voltada ao e-commerce. O funcionamento é simples: durante a navegação do cliente pela loja, a IA coleta dados das suas pesquisas (produtos, preços, condições de pagamento, prazo de entrega etc.). Quando essa pessoa vai fechar o pedido, a página dispara um pop-up na sua tela.

O chamado pop-up de retenção é uma janela pequena com uma foto do produto, um valor promocional (cupom de desconto) e uma contagem regressiva. Na prática, é uma promoção vinculada ao carrinho de compras: a pessoa tem acesso por estar comprando outros produtos.

O resultado é bastante positivo, já que o cliente se sente tentado a comprar o produto no qual ele já tinha interesse graças à promoção. Isso significa um volume de compras maior por pessoa, elevando o ticket médio.

Preço dinâmico

A mesma lógica pode ser aplicada em diferentes momentos da jornada do consumidor. Soluções baseadas em Inteligência Artificial permitem estabelecer um preço dinâmico, ou seja, calculado com base em fatores mais complexos que influenciam o valor a ser cobrado. Entre outros fatores, isso envolve, por exemplo:

  • análise da concorrência;
  • comportamento do consumidor;
  • período do ano;
  • giro de mercadorias;
  • nível do estoque;
  • margem de lucro.

O cálculo, então, ajuda a estabelecer um preço que fortalece a competitividade da empresa. Vale destacar que, graças ao Machine Learning, o preço pode ser atualizado com certa frequência, de acordo com novas mudanças detectadas nesses indicadores. A aplicação varia, é claro, entre os diferentes setores do varejo, o tipo de produto que oferecem e outras especificidades.

Atendimento personalizado

O chatbot é um dos grandes chamarizes da Inteligência Artificial no varejo. Grosso modo, estamos falando de um robô virtual baseado em IA cuja função é conversar com as pessoas. No ambiente empresarial, sua presença vem se tornando marcante — basta entrar no site de uma empresa, principalmente se ela trabalha com vendas, que você vai se deparar com um chatbot à sua disposição.

O objetivo do robô virtual é dar informações, tirar dúvidas e automatizar algumas etapas da navegação do cliente. Ele oferece uma solução quase imediata para a maioria dos pedidos e, de quebra, coletam dados para uma análise do perfil do cliente.

Se uma pessoa conversa com o chatbot buscando informações sobre diferentes produtos, isso é registrado e utilizado nas estratégias que mencionamos. É interessante notar que eles permitem um ajuste fino das ações de marketing, garantindo que cada mensagem seja enviada à pessoa correta.

Como você pôde ver, o uso da Inteligência Artificial no varejo é uma tendência que veio para ficar. Quem investe nessa tecnologia conquista um diferencial competitivo importante. Já as empresas que demoram para se renovar podem perder espaço no mercado. Então, não perca tempo e coloque a IA para trabalhar a seu favor!

Se gostou do post, aproveite para compartilhá-lo nas redes sociais e mostrar essas novidades aos seus colegas!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Comente este artigo