Consumidor: o principal foco do Trade Marketing

Atualmente, o consumidor dita as regras do mercado e orienta como deve ser o atendimento e todas as atividades de uma empresa. Com isso, o trade marketing ganha ainda mais importância, pois é a atividade que atua diretamente no ponto de venda.

Consumidor x shopper: entenda a diferença

Antes de continuarmos o assunto, precisamos falar sobre a diferença entre consumidor e shopper, que não são sinônimos. Esse é o primeiro passo para compreender o trade marketing e sua importância no processo de desenvolvimento empresarial.

De forma resumida, o consumidor é aquele que consome o produto, enquanto o shopper é quem efetua a compra.

Uma pessoa que vai ao supermercado e compra um refrigerante para o lanche é o consumidor, pois consome o produto adquirido por ela mesma. Por outro lado, quem vai a uma loja de roupas comprar um presente para a mãe é shopper, pois não usará o item que comprou — a mãe é a consumidora.

Assim, é possível observar que uma pessoa pode ser consumidora ou shopper. Tudo depende da destinação do produto, ou seja, se ele é para consumo próprio ou de um terceiro.

Entenda a importância do Trade Marketing

As relações de consumo podem ser mais complexas do que parecem. Atrair, convencer, atender e fidelizar um cliente não são tarefas simples e exigem muita estratégia e eficiência por parte das empresas.

Como você sabe, o Trade Marketing é um conjunto de ações de marketing e vendas do universo B2B. Apesar disso, seu foco está na plena satisfação das demandas de consumo no ponto de venda.

A ideia central dessa atividade é garantir que o cliente desfrute de uma experiência de compra diferenciada, encontrando exatamente o que precisa, na quantidade e no tempo corretos. Para isso, é necessária uma efetiva colaboração entre varejistas e fabricantes.

Quando bem executadas, essas práticas garantem eficiência operacional e a satisfação do consumidor. Em um mercado altamente competitivo, esses são fatores que não podem ser ignorados, merecendo dedicação e atenção dos gestores.

Consumidor como o centro das atenções: saiba por que isso faz a diferença

Os últimos anos foram marcados por uma forte reestruturação do varejo, que viu o consumidor mudar de atitude de forma considerável, ficando muito mais exigente, conectado e preocupado com uma experiência de compra.

Conforme visto, todos podemos migrar de shopper para consumidor, o que torna essa jornada muito mais dinâmica. Por isso, o consumidor deve ser o centro das atenções dessas atividades.

Enxergá-lo como apenas “mais um” é um erro, visto que, quando uma pessoa decide ir até um ponto de venda, espera encontrar muito mais do que uma simples loja. O local precisa estar preparado para recebê-la e proporcionar uma rica experiência.

Em síntese, ao focar no consumidor, o trade marketing consegue pensar em estratégias para integrar o físico com o digital, evitar a indisponibilidade e qualificar melhor suas iniciativas de merchandising.

Essa prática vai ao encontro de suas necessidades. Em vez de a indústria apenas “empurrar” os produtos para os pontos de vendas, é o mercado quem dita o ritmo e define aquilo que faz ou não sentido ser exposto e vendido.

Conheça as principais ações de Trade Marketing com foco no consumidor

Comprar está se tornando uma decisão cada vez mais planejada. O consumidor está abandonando o impulso e se dedicando a pesquisas de preços e análises sobre a eficiência, qualidade e reputação do negócio.

Esse cenário exige a união da experiência de quem vende com o conhecimento de quem produz. Vale citar que tecnologia e conhecimento são a base para as estratégias de Trade Marketing que mantêm o foco no consumidor e garantem ótimos resultados. Confira!

Definição dos canais de venda adequados

Toda a atuação empresarial deve ser planejada para atrair e convencer o consumidor, levando-o a comprar o produto no PDV. Desse modo, a escolha dos canais de venda em que a empresa atuará é estratégica e precisa levar em consideração o perfil e as necessidades do seu público-alvo.

Aproveitamento da sazonalidade

A sazonalidade é um fenômeno importante para o varejo e pode gerar muitas oportunidades para toda a cadeia de suprimentos. Vender ventiladores no inverno é muito mais difícil que no verão, por exemplo, e essa demanda precisa ser avaliada ao planejar o estoque e as técnicas de vendas.

Experiência de compra personalizada

Estruturar seu atendimento, o PDV e a reposição de estoque com o foco no consumidor é muito mais eficaz do que se basear na concorrência ou nos próprios SKUs. Por isso, o planejamento logístico, o posicionamento dos produtos nas prateleiras, a decoração da loja e a personalização da experiência devem proporcionar o cenário ideal para a compra.

O Trade Marketing, assim como o varejo, evoluiu. O consumidor é o centro de suas atenções e isso tem proporcionado excelentes resultados às empresas. Quanto mais atento às demandas, preferências e necessidades do cliente o seu negócio estiver, mais fácil será crescer e se tornar uma referência no mercado. Pense nisso!

Gostou deste artigo? Que tal receber as novidades do nosso blog em primeira mão? Basta assinar nossa newsletter e conferir sua caixa de entrada!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Compartilhar
Comente este artigo