CT-e ou MDF-e? Entenda quando utilizar um ou outro no transporte de mercadorias

Não importa o meio de transporte, seja por terra, água ou ar, sempre que mercadorias transitarem entre fornecedor e comprador, e a movimentação é realizada por transportadoras terceirizadas, o CT-e (Conhecimento de Transporte Eletrônico) deve ser emitido. Esse documento serve para identificar o remetente e o destinatário da carga, assim como o trajeto que está sendo realizado.

  • Imagine um caminhão que deverá transportar uma carga de refrigeradores e fará a entrega em uma única loja. Nesse caso, deverá existir um conhecimento de transporte eletrônico, identificando a mercadoria.
  • Agora, digamos que esse caminhão fará diversas entregas. Parte da carga ficará em uma loja, outra parte em outra, e assim por diante. Essa situação exigirá a existência de um CT-e para cada destinatário.

Nos postos de fiscalização pode ser exigida a conferência da carga, e para tanto, os fiscais solicitam os documentos de CT-e envolvidos, consultando os registros na Sefaz (Secretaria da Fazenda), para fazer a conferência com a mercadoria existente.

Quando o transporte for de um Estado para o outro (interestadual) surge o MDF-e (Manifesto Eletrônico de Documentos Fiscais). Esse documento serve como um agrupador dos diversos conhecimentos de transporte (CT-e) relacionados a determinada carga em trânsito, e dispensa a apresentação destes. No transporte interestadual, o MDF-e é exigido, inclusive, para movimentação de cargas próprias. Além disso, as cargas fracionadas, que têm mais de uma nota por percurso, também precisam do documento eletrônico.

  • Se o caminhão citado acima, fizer diversas entregas em Estados diferentes, em caso de fiscalização, não será necessária a conferência de diversos documentos CT-e. Basta consultar o MDF-e registrado na Sefaz e fazer a validação dos conhecimentos de transporte que ele contempla.

Para simplificar esse processo e garantir o atendimento das obrigações fiscais, conte com o o apoio de uma solução tecnológica especializada em Supply Chain. Dispondo de um portal eletrônico, onde os documentos digitais ficam acessíveis também ao transportador, para complemento das informações e envio para autorização da Secretaria da Fazenda, você reduz os risco fiscal da operação. Além disso, uma solução que domina a dinâmica da cadeia de suprimentos e se comunica facilmente com a Sefaz, aumenta a eficiência operacional no transporte terceirizado.

Continue acompanhando nosso blog para saber mais sobre o assunto. Para simplificar seus processos com tecnologia especializada, fale conosco!

Autor

A NeoGrid é uma empresa brasileira de soluções para a gestão de Supply Chain com clientes em mais de 30 países e escritórios na América Latina, América do Norte, Europa e Ásia. Em plataforma exclusiva e completa, as soluções NeoGrid sincronizam a cadeia de suprimentos, trazendo como resultado a redução de rupturas (faltas) e, ao mesmo tempo, a redução de estoques.

Compartilhar

Comente este artigo