distribuiçao logistica na industria

Gestão de distribuição: o que é e como funciona na indústria?

Falar sobre gestão de distribuição é sempre importante para o crescimento empresarial. Afinal, os processos envolvidos na distribuição são os grandes responsáveis por fazer o produto chegar às mãos do consumidor final.

Desde a sua saída da indústria até a casa do cliente, a mercadoria percorre um grande caminho. Para que todo o trajeto seja cumprido com eficiência e qualidade, é necessário um controle rígido de todos os riscos e fatores que podem influenciar esse resultado.

Neste post, vamos conceituar e explicar como, na prática, funciona a gestão de distribuição da indústria. Se você é daqueles profissionais que busca otimizar os resultados da empresa e, assim, mostrar o seu valor no mercado, não pode deixar de acompanhar até o final.

Preparado? Faça uma boa leitura e tire todas as suas dúvidas sobre o tema!

O que é gestão de distribuição?

Partindo de uma noção mais básica, é importante enfatizar o conceito de gestão de distribuição. Em resumo, se trata dos processos de planejamento de distribuição logísticos, desempenhados para que os estoques sejam endereçados adequadamente pelos diversos canais de distribuição:

  • da indústria para o varejo (canal direto);
  • da indústria para os centros de distribuição (CD) e, posteriormente, para a loja (canal direto);
  • da indústria para empresas distribuidoras. (canal indireto)
  • do CD do varejo para a loja (processo interno do Varejo).

Perceba que o foco da gestão de distribuição é a movimentação adequada da mercadoria na cadeia de suprimentos. A indústria, seus fornecedores e clientes trabalham para que o produto chegue até as lojas e seja adquirido pelo cliente em perfeitas condições – na quantidade, hora e local adequado.

Etapas da distribuição logística:

Todos os setores de uma empresa possuem sua importância, mas existem alguns que podem ser considerados estratégicos e fundamentais para o funcionamento de todo o negócio. Esse é o caso da gestão de distribuição e seus processos.

Observando o cotidiano em uma indústria, não há como deixar de analisar a relevância de se ter uma distribuição de excelência. Isso porque, sem isso, todo o trabalho executado na linha de produção pode ser em vão e gerar impactos negativos em toda a cadeia produtiva.

Uma indústria pode ter diversos canais de distribuição — os meios para se escoar a produção — ou focar em apenas um. Isso define as etapas da distribuição que serão necessárias para a conclusão do processo e, também, os gastos envolvidos na operação. Porém, existem três etapas que merecem ser enfatizas. Acompanhe!

Primeira etapa do sistema de distribuição

Nessa primeira etapa, ocorre o levantamento dos produtos que já existem na indústria, no centro de distribuição e nos pontos de vendas. Veja que falamos em uma integração entre sistemas, soluções tecnológicas capazes de dar uma maior visibilidade ao gestor.

Aliás, para que todo o processo seja realizado de maneira coerente e com menos erros, é preciso ter acesso a dados atualizados, como:

  • demanda dos produtos (sell-out);
  • níveis dos estoques;
  • ordens de entrega (presentes e futuras);
  • lead time dos pedidos;
  • produção pendente para a indústria.

Segunda etapa do sistema de distribuição

Superada a primeira fase de análise e planejamento da estratégia distribuição, chega o momento de planejar o próximo passo, que é a seleção dos recursos e estratégias necessárias para movimentar os produtos.

Nesse momento, ter o auxílio de recursos tecnológicos também faz toda a diferença, pois as ações executadas devem ser necessárias para:

  • entregar o produto correto, na quantidade adequada, no local e período certo;
  • planejar o transporte das mercadorias;
  • avaliar a necessidade de mão de obra e equipamentos;
  • estruturar e organizar o estoque;
  • facilitar a comunicação e atuação de todos os envolvidos.

Terceira etapa do sistema de distribuição

A terceira etapa se baseia no comparativo entre a oferta e capacidade dos fornecedores, recursos disponíveis e a demanda dos varejistas.

Em geral, com base em tudo o que foi colhido ao longo do processo, o gestor planeja sua atuação, cuidando para que não haja ruptura nos pontos de vendas. Mais do que isso, a distribuição é executada com eficiência, assegurando o equilíbrio entre a demanda e a oferta.

Ressalta-se que, quando todos os processos são realizados da maneira correta, não há excesso ou falta de produtos para o consumidor. Isso significa um crescimento saudável e estruturado para a indústria, seus fornecedores e, claro, seus clientes.

Por que investir em automatização da distribuição?

Conforme apresentado, a gestão de distribuição é complexa e dinâmica. As atividades desempenhadas pelos funcionários dessa área são volumosas e muito estratégicas. Então, por que colocar em risco todo o resultado com processos manuais?

A tecnologia tem evoluído bastante para entregar à indústria ferramentas que tornam os procedimentos mais seguros e eficientes. Apostar em automatização é uma das decisões mais acertadas que se pode ter nos dias atuais, pois sobreviver em um mercado tão competitivo não é tão simples.

A implementação de softwares no cotidiano da indústria é algo que só oferece benefícios. Mais do que isso, é necessário entender que o investimento inicial é compensado pelos resultados alcançados — percebidos logo de início.

Portanto, a gestão automática da cadeia de suprimentos é a opção mais interessante para seu negócio. Por meio de alta tecnologia, é possível:

  • sincronizar sistemas e dados da manufatura, centros de distribuição e varejo;
  • ter uma maior visibilidade das vendas e dos estoques disponíveis;
  • alinhar suas operações com a transportadora;
  • distribuir os produtos no momento certo e evitar prejuízos;
  • evitar erros manuais que prejudicam a rentabilidade do negócio.

A gestão de distribuição é uma atividade essencial para a cadeia produtiva. A indústria deve se preocupar em manter esses processos ágeis, eficientes e seguros e, assim, evitar que o consumidor sinta os reflexos das falhas nos pontos de vendas.

Quando há um bom planejamento da estratégia de distribuição, todos têm a ganhar. Essa etapa garante que o mercado continue aquecido e que a empresa tenha sempre o produto para oferecer ao seu público. Para isso, conforme vimos, é necessário investir em automatização, pois só assim o gestor terá total controle sobre o escoamento de seus produtos.

Conheça outros desafios da cadeia de suprimentos. Leia o guia completo sobre o assunto.

Quer ficar por dentro das novidades e tendências sobre a cadeia de suprimentos e gestão de estoques? Preencha o formulário abaixo e receba conteúdos exclusivos na Neogrid.


Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Compartilhar
Comente este artigo