Gestão de estoque no varejo: como fazer?

A gestão de estoque no varejo impacta diretamente o desempenho da empresa, tanto nos quesitos de atendimento ao cliente quanto financeiramente Por isso, exige planejamento e controle para ser feita de forma adequada e eficaz.

Não existe uma fórmula para a gestão dos estoques, mas realizá-la em função da demanda do consumidor final é fundamental para o sucesso do seu negócio. Continue a leitura para saber mais!

Importância da gestão de estoque no varejo

Investimento em itens com pouca ou nenhuma saída, caixa parado em excessos de estoque e consequente perda de produtos por vencimento ou avarias, além de perda de vendas por falta de produtos, são exemplos de problemas que os varejos enfrentam quando não fazem uma gestão de estoque eficiente.

Baixe o infográfico completo sobre a Cadeia de Suprimentos e saiba tudo sobre o assunto.

O processo consiste em equilibrar compras, armazenagem e distribuição para garantir que o consumidor encontre o que procura nas prateleiras. A disponibilidade de produtos que realmente têm boa saída, ou seja, alto giro, na quantidade certa, é essencial para o aumento de vendas nas lojas e uma grande vantagem competitiva do varejo. Além disso, uma gestão de estoque adequada permite à empresa equilibrar caixa  ao alinhar o prazo de pagamento dos fornecedores ao recebimento dos clientes

6 dicas para tornar a gestão de estoque mais eficiente

Para alcançar uma gestão de estoque eficiente  nas lojas é essencial controlar todas as operações realizadas e a distribuição dos produtos de acordo com a demanda do consumidor. É importante registrar: entradas, saídas, movimentações, trocas, devoluções, quantidades e épocas em que são mais vendidas.

1. Fazer um inventário de estoque confiável

O inventário consiste em um balanço da quantidade de mercadorias de cada loja e é, geralmente, realizado uma vez por ano, mostrando o panorama geral do estoque. O objetivo desse processo é verificar se o estoque físico está em conformidade com o sistema de gestão da empresa.

É vital que o inventário seja dividido em etapas, tornando-se mais eficiente. Devem ser analisados separadamente os furos, obsolescência, avaria, entrada e saída, entre outros. O número de etapas deve ser condizente com o tipo de produto que cada empresa transaciona.

Abaixo está apresentado o processo completo de inventário de estoque:

Definição da metodologia de realização do inventário

Consiste em definir a forma como os contadores farão o levantamento de quantidades —manual, usando coletor de dados ou de ambas as formas.

Organização dos estoques e mercadorias

É de extrema importância organizar a loja — principalmente se o processo de contagem for manual. Essa organização consiste em ordenar os produtos de uma forma que facilite a contagem e endereçar as prateleiras e corredores. As mercadorias devem ser separadas em agrupamentos por tipo, sabor, fragrância, evitando erros ocasionados por diferenças não percebidas.

Conferência do software

Esta etapa trata-se de conferir se o software está atualizado e se existem informações pendentes a serem lançadas — como mercadorias recebidas. Essa checagem não precisa estar atrelada, necessariamente, ao inventário. Ela deve ser realizada constantemente, de acordo com prazos estabelecidos pelo fornecedor ou por avisos enviados pelo próprio sistema contratado.

Contagem das mercadorias

Os produtos devem ser contados, um a um. O ideal é que esse processo seja realizado mais que uma vez, evitando a obtenção de dados equivocados.

Auditoria da contagem de estoque

Deve-se definir um auditor responsável. Esse irá conferir fisicamente se os dados informados pelo contador estão corretos.

Arquivamento das informações coletadas

As informações coletadas devem ser arquivadas para que os dados e relatórios obtidos no processo de inventário possam ser acessados sempre que necessário.

2. Conhecer o perfil do consumidor

Conhecer o perfil e as necessidades do consumidor é essencial para saber quais os produtos ele procura. Uma loja de roupas sociais pode não alcançar muitas pessoas em determinados bairros, assim como uma rede de fast-food pode não ser adequada em uma cidade muito pequena.

Portanto, tenha sempre em mente informações como o perfil da vizinhança, características da população local, faixa de renda, trânsito, fontes de tráfego, perfil etário, entre outros fatores que influenciam no número de vendas e no tipo de produto que terá maior saída.

Algumas soluções tecnológicas de visibilidade do varejo fornecem dados de sell-out, que mostram exatamente o comportamento do consumidor em cada loja, fornecendo insumos importantes para determinar o mix ideal de produtos.

3. Acompanhar os resultados

Utilize indicadores de desempenho que permitam  acompanhar os resultados e verificar quais ações são necessárias para alcançar os objetivos da sua empresa.

Alguns indicadores que devem ser acompanhados são: giro de estoque,perda de vendas, ruptura, estoque virtual e disponibilidade em gôndola (OSA – On Shelf Availability). Esse último, por exemplo, indica até as causas das faltas de produtos nas prateleiras, permitindo que as empresas tomem ações imediatas para a reposição nas lojas e nas gôndolas..

O giro de estoque serve para identificar qual o tempo médio que os produtos ficam no estoque, quais são os produtos mais vendidos e quais os que têm menor saída. Com esses dados em mãos, tomar ações certeiras para a gestão de estoque torna-se bem mais simples!

4. Investir em tecnologia

Investir em tecnologia é essencial para evitar erros, reduzir custos, ter acesso a dados precisos do estoque disponível em cada CD e loja, além de acelerar e otimizar todo o processo.

Algumas soluções tecnológicas tornam possível obter rapidamente informações como quantidade disponível, valor em estoque, dados de vendase aperfeiçoar o processo de compras, reduzindo a pressão sobre o capital de giro da empresa e as chances do gestor comprar produtos desnecessários ou abaixo da quantidade ideal.

Saiba como a tecnologia pode ajudar a reduzir custos.

5. Analisar o desempenho dos produtos

Existem produtos que apresentam maior número de vendas em determinada época, enquanto em outros momentos a procura é baixa. Para evitar investimento e uso de espaço desnecessário, é importante acompanhar os  dados de desempenho para não ter um estoque muito superior ou inferior ao que é realmente necessário.

O ideal é que a análise seja feita diariamente, semanalmente e mensalmente. Assim é possível identificar a necessidade de promoções, organizar kits (como leve 3 pague 2) para a saída de produtos que estão próximos ao vencimento ou que apresentam baixa saída, assim como visualizar itens que podem entrar em falta e antecipar a reposição.

6. Organize o estoque

Uma gestão eficiente também passa pela organização do estoque. Deve ser implementado um layout que permita o acondicionamento adequado de cada produto, o fluxo das mercadorias e a redução da distância de transporte dos produtos de maior entrada e saída. Já na área de vendas, o layout deve facilitar o processo de compra do cliente e induzir a venda de produtos com maior margem de lucro, menor giro ou prazos de validade próximos.

A gestão de estoque pode ser a diferença para o sucesso  do seu varejo. Então, tenha sempre muita atenção e cuidado para que atinja eficácia nesse processo.

Gostou do texto? Então curta nossa página no Facebook! Assim você ficará sempre por dentro das novidades e conteúdos que postamos.

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Compartilhar
Comente este artigo