Indústria 4.0 e um gestor trabalhando

Indústria 4.0: o que é e qual o seu impacto no mercado?

Inteligência artificial, robótica, big data, cloud computing, sistemas ciber-físicos e comunicação entre máquinas. Alguns desses termos já são realidade dentro das organizações contemporâneas e se constituem como peças fundamentais em uma nova era da inovação: a indústria 4.0.

Esse conjunto de tecnologias visa tornar as fábricas inteligentes por meio da organização e da melhoria de processos. Trata-se, portanto, de um dos principais efeitos da Quarta Revolução Industrial. Mas antes disso a humanidade passou por grandes transformações.

Em 1750, o processo de mecanização da produção, originado da passagem da produção manual para o sistema fabril mecanizado, deu origem à Primeira Revolução Industrial. Na sequência, em meados do século 19 ocorreu a introdução da produção em massa. E a partir de da metade do século 20, iniciou o período da Revolução Informacional, momento em que a eletrônica surge como ferramenta de modernização da indústria, a qual perdura até os dias atuais.

Apesar de tantas transformações, o cenário fabril ainda precisa incorporar muitas ferramentas para que os benefícios das novas tecnologias sejam devidamente aproveitados pelas organizações. Por isso, no artigo de hoje vamos abordar todos os detalhes acerca da indústria 4.0, incluindo os seus princípios, benefícios e impactos mercadológicos. Confira!

Afinal, o que é indústria 4.0?

O termo indústria 4.0 foi utilizado pela primeira vez em 2011, tendo como origem um projeto de alta tecnologia criado pelo governo alemão. Por esse motivo, a 4º Revolução Industrial é caracterizada pela união entre o físico e o virtual, em que a indústria 4.0 representa um conjunto de mudanças nos processos de fabricação de produtos. Neste novo modelo, a cadeia de valor torna-se altamente integrada, uma vez que ocorre significativa redução do trabalho manual.

Essa nova era da produção representa a interconectividade das coisas. A utilização desses recursos tecnológicos permite a captura e análise de grande quantidade de dados, automatização de processos e redução de erros, o que propicia uma nova realidade com mudanças nos padrões de produção, relações de trabalho, bem como no contexto econômico-social.

Indústria 4.0: resumo das principais motivações

  • aumento exponencial da capacidade das máquinas e computadores;
  • grande quantidade de dados informatizados;
  • inovação e pesquisas na área de tecnologia.

Pilares da indústria 4.0

Existem alguns princípios básicos relacionados à implantação e ao desenvolvimento dessa nova era industrial. Conheça alguns a seguir.

Interoperabilidade

Refere-se à capacidade de comunicação entre os sistemas. Ou seja, é o que garante a interação entre pessoas, organizações e sistemas, possibilitando a troca de informações de maneira eficaz.

Virtualização

Trata sobre a existência de cópias virtuais das fábricas inteligentes, que permitem utilizar sensores para rastrear e monitorar processos.

Descentralização

Maior autonomia para o sistema cyber-físico, a fim de que este possa tomar decisões em tempo real. Além disso, os módulos da indústria inteligente devem trabalhar de forma descentralizada para melhorar os processos.

Capacidade de operação em tempo real

Consiste no recebimento e tratamento de dados de forma instantânea, permitindo a tomada de decisões em tempo real.

Orientação a serviços

Diz respeito ao uso de arquiteturas de softwares de forma conjunta com o conceito de internet of services.

Modularidade

Produção conforme a demanda. Ela será de acordo com o acoplamento e desacoplamento. Além disso, haverá flexibilidade para alterar as tarefas das máquinas.

Quais são os benefícios da quarta revolução industrial?

Sem sombra de dúvidas, a evolução dos sistemas produtivos industriais proporciona uma série de benefícios para empresas, colaboradores, meio ambiente e sociedade como um todo. Alguns deles são:

  • conexão entre todas as áreas da organização;
  • menor incidência de falhas;
  • redução de custos;
  • aumento da produtividade;
  • maior competitividade de mercado;
  • aumento da receita da empresa;
  • otimização dos processos de fabricação;
  • redução de desperdícios;
  • fortalecimento dos recursos humanos ao assegurar melhor qualidade de vida e condições de trabalho;
  • desenvolvimento de tecnologias exponenciais;
  • sustentabilidade ambiental por meio da conservação dos recursos naturais e economia de energia;
  • customização em escala e consequentemente a entrega de um melhor serviço de atendimento ao cliente.

Como a indústria 4.0 deve impactar o mercado?

De acordo com a pesquisa global da Deloitte, que conversou com 1.600 executivos em 19 países, entre eles 102 brasileiros, a expectativa para a indústria 4.0 é alta. Cerca de 39% dos entrevistados no Brasil consideram a tecnologia um diferencial competitivo, enquanto 42% acreditam que ela permite grande mobilização na cadeia de operações a fim de entregar valor aos clientes.

O estudo revela ainda que 87% do total desses gestores acreditam que o novo formato industrial deve beneficiar o mercado empresarial e a população com igualdade social e estabilidade econômica. Por isso, estima-se que a tendência da indústria 4.0 se espalhe pelo mundo em alguns anos. Com isso, um dos maiores impactos será a criação de novos modelos de negócios.

Entre os efeitos estão ainda a modificação dos métodos de trabalho, com o uso de sistemas e sensores inteligentes. Neste cenário, os softwares rígidos e centralizados cedem lugar aos recursos da inteligência artificial e comunicação entre máquinas (M2M) diretamente no chão de fábrica. Além disso, as fábricas inteligentes podem trabalhar com a produção de mercadorias de acordo com as necessidades e desejos de cada cliente e, por meio dessa customização, garantir maior satisfação e fidelização.

E, claro, os impactos também influenciam diretamente nas relações trabalhistas e habilidades exigidas dos profissionais. Entre as principais capacitações necessárias, em especial para os gestores, estão a aptidão para viver de fato a transformação digital, multidisciplinaridade, criatividade e capacidade de inovar. A 4ª revolução industrial chega para transformar os modelos de gestão.

Como visto, a fábrica do futuro é bem diferente do modelo que temos atualmente (embora algumas empresas já estejam implantando algumas mudanças). Portanto, é preciso começar a agir para não perder tempo e prejudicar a competitividade da sua empresa.

A revolução 4.0 na indústria vai alterar toda a natureza do processo de produção, desde a origem da mercadoria até a entrega final para o consumidor. Com isso, as atividades passam a ter mais precisão, confiabilidade e agilidade.

Gostou do artigo? Tem alguma dúvida? Conte-nos como a sua empresa está se preparando para a revolução das indústrias. Deixe seu comentário abaixo! Até a próxima!

Autor

Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).

Compartilhar

Comente este artigo