Lote de reposição: Existe fórmula mágica?

Vamos entender primeiro o conceito de Lote de Reposição, para depois poder analisar os fatores que o influenciam: O Lote de Reposição é a quantidade em dias ou volume que o pedido a ser feito deve durar, de acordo com a demanda futura prevista

Estabelecer um lote de reposição ideal pode ser essencial para balancear os estoques. Essa ação gera uma redução dos estoques sem comprometer o nível de serviço. Lotes de reposição mais baixos permitem menor propensão a possíveis erros na previsão de demanda, já que uma compra em menor volume acompanha a venda real de mais perto. Um lote de reposição de um dia (ou mesmo de algumas horas), seria uma reposição diretamente puxada pela venda real, mas estabelecer um lote de reposição desses, não é tão fácil! Devemos levar em consideração diversos fatores externos que influenciam diretamente na sua construção:

Faturamento mínimo do fornecedor:

É comum que o fornecedor estabeleça uma quantidade mínima para que possa faturar e enviar um pedido, esse fator acaba sendo restritivo no cálculo do lote de reposição. Se o lote de reposição não for o suficiente para atingir o faturamento mínimo, os pedidos não serão emitidos. Nesse caso, o lote de reposição deve ser determinado levando em conta esse faturamento mínimo do fornecedor em cada local de estoque, sempre procurando trabalhar com mix completo de produtos desse fornecedor para atingi-lo. Se for necessário, para um lote de reposição muito grande para atingir o faturamento mínimo estabelecido, deve ser avaliada a possibilidade de estabelecer um “pulmão” de estoque para fazer o abastecimento.

– Custo Logístico (frete, pedágio, etc.):

O custo logístico é um fator importante a ser analisado, pois é restritivo ao tamanho do lote de reposição, devendo ser analisado caso a caso. A recomendação é trabalhar da melhor forma possível o mix de produtos na formação de cargas. Esse fator pode ser determinante para o fornecedor e/ou varejo estabelecer o Faturamento mínimo.

– Custo de posse:

O custo de posse é determinado pela relação entre os encargos financeiros de despesas fixas (salários, aluguel, seguro, entre outros) e o valor do estoque médio. Nesse caso, quando maior o lote de reposição, melhor o aproveitamento do custo de despesa fixa. O custo de posse deve ser analisado com cuidado, pois um aumento significativo de estoque melhorará o índice, porém, estoque parado nem sempre terá o melhor custo de oportunidade.

– Custo por pedidos:

Quanto maior o custo do pedido, maior deve ser o lote de reposição (aumentar o lote de reposição, diminui a frequência de pedidos e reduz, consequentemente, o custo). Os custos de pedidos são influenciados pela forma como são feitas as requisições de produtos junto aos fornecedores. Ferramentas tecnológicas que automatizam e/ou simplificam o envio dos pedidos podem reduzir este custo e possibilitar a redução do lote de reposição.

– Shelf-life (validade do produto):

Diversos produtos possuem datas de validades (como é o caso de produtos alimentícios) ou data de obsolescência (como é o caso de produtos eletrônicos). Nestes casos é preciso levar em consideração esses prazos para determinar o lote de reposição, funcionando como uma restrição superior ao tamanho dele.


– Metas de estoque (giro e estoque máximo):

Lotes reposição também ajudam a determinar qual o giro de estoque e o estoque máximo do sistema. Quanto maior o lote de reposição menor será o giro de estoque e consequentemente maior o estoque médio. Lotes de reposição menores melhoram o giro financeiro (vendas / cobertura) e também ajudam a se adaptar a restrições de capacidade do local de estoque.

– Capacidade de recebimento da logística:

Dependendo do tipo de produto é mais fácil para a logística armazenar e separar grandes volumes de uma só vez; nesses casos, lotes de reposição maiores são mais vantajosos. Ao mesmo tempo, entregas menores podem facilitar o check-in dos produtos e possibilitar o recebimento de mais produtos de diferentes fornecedores no mesmo dia e, nesse caso, lotes de reposição menores serão mais interessantes.

Não existe formula mágica para o calculo de um lote de reposição ideal; vários fatores que foram citados devem ser levados em consideração no momento do calculo. O cálculo do lote de reposição deve ser individual, para cada Origem (Fornecedor/CD) / Destino (CD/Lojas).

Abaixo, segue um resumo dos principais fatores a serem avaliados no calculo do LR:

Autor

Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).

Compartilhar

Comente este artigo