Mundos Pequenos

Vamos imaginar a seguinte equação: quantos consumidores têm no Brasil? Quantos pontos de venda? Quantos fabricantes de produtos de bens de consumo existem em nosso país? Podemos dizer que o número de conexões entre esses elos é imenso, e que conseguir entender ou mesmo influenciar esse sistema complexo seria muito difícil.

Qual é a melhor estratégia então para introduzir um novo produto no mercado? Quem comanda esse sistema? Como influenciar a cadeia toda de uma só vez?

Todas essas perguntas parecem ser quase impossíveis de serem respondidas, mas uma teoria surge para ajudar; A teoria do “Mundo Pequeno”, originalmente idealizada por Stanley Miligram, e futuramente trabalhada pelos estudiosos Duncan Watts e Steven Strogastz.

A teoria dos mundos pequenos defende que assim como as relações humanas, todos os sistemas inter-relacionais apresentam a fascinante característica de conseguir estabelecer uma relação de um agente qualquer ao outro do sistema com apenas seis conexões, dando assim a sensação que o sistema como um todo é menor do que realmente parece. Aplicando essa teoria nas relações humanas, é possível dizer que eu consigo me conectar com qualquer outra pessoa do mundo usando apenas seis conexões.

E como essa teoria pode ser aplicada ao sistema de consumo?

Segundo o Professor Albert László Barabási, estudioso sobre os sistemas de redes, todos os sistemas obedecem ao mesmo padrão, apresentando em suas estruturas dois tipos distintos de agentes:

Os agentes com poucas conexões são chamados “agentes comuns”, e os agentes com um grande número de conexões são chamados de Hub’s. Segundo Barabási os Hub’s seriam então os responsáveis pelo fenômeno do “Mundo Pequeno”.

Figura 1: Mapa de conexões de Barabási

Ele defende que qualquer ação realizada com um dos “Hub’s” terá influencia em todo o sistema, podendo até fazer com que ele todo deixe de funcionar, caso um dos “Hub’s” seja retirado.

O segredo está no Hub’s, logo, devemos então identificar quais são os integrantes com o maior número de conexões, estudar seu comportamento, e interagir da melhor forma para que consequentemente os resultados sejam repassados para toda a cadeia.

Se tiver a intenção de introduzir um novo produto, ou uma nova ideia no varejo deve concentrar seus esforços nos Hub’s da indústria, pois são eles que têm o maior número de conexões com os varejos. E se quero vender uma nova ideia para a indústria, deveria agir sobre os Hub’s do Varejo.

Alguns estrategistas podem até dizer que não é a estratégia mais fácil de realizar, mas segundo Barabási, é a mais eficaz.

Se este assunto lhe chamou atenção indico então assistir o filme produzido pela BBC – “Six Degrees of Separation”.

Autor

A NeoGrid é uma empresa brasileira de soluções para a gestão de Supply Chain com clientes em mais de 30 países e escritórios na América Latina, América do Norte, Europa e Ásia. Em plataforma exclusiva e completa, as soluções NeoGrid sincronizam a cadeia de suprimentos, trazendo como resultado a redução de rupturas (faltas) e, ao mesmo tempo, a redução de estoques.

Compartilhar

Comente este artigo