Os prejuízos da falta de sincronização de dados e como resolver o problema

Uma pesquisa da AMR Research revela que, em média, 30% das transações entre indústria e varejo contêm dados incorretos. Outra pesquisa realizada pela Ernst & Young mostra que, devido a esta ineficiência na cadeia de abastecimento, as empresas perdem em média 3,5% das vendas todos os anos. Os dois estudos referem-se aos chamados dados mestres (master data), ou seja, dados cadastrais de produto como descrições, códigos, pesos e dimensões.

A falta de sincronização de dados entre varejo e indústria é atualmente um dos principais geradores de desperdício, ineficiência e falta de produtos nos pontos de venda. Este problema, consequente da inacuracidade de dados, é ainda mais evidente no Brasil, onde, apesar da tecnologia já ter mudado consideravelmente o comportamento do varejo e da indústria, ainda há muito a ser feito. Por aqui, mesmo grandes redes varejistas ainda utilizam processos manuais para sincronizar dados de produtos, o que, inevitavelmente, resulta em dados imprecisos.

Verifique se sua empresa enfrenta algum dos problemas abaixo:

· Falta de produtos nos pontos de venda

· Grande número de litígios entre comprador e fornecedor

· Atrasos de entrega, devoluções e cancelamento de pedidos

· Erros de recebimento e de faturamento

· Necessidade de manter catálogos duplicados

· Atraso na introdução de novos produtos

· Falta de conhecimento sobre descontinuidade de produtos

A Rede Global de Sincronização de Dados (GDSN) é uma poderosa ferramenta criada não apenas para resolver estes problemas, mas também gerar benefícios substanciais através da troca sincronizada e padronizada de dados de supply chain de forma segura entre comprador e fornecedor.

A sincronização global de dados (GDS) permite um único ponto de entrada dos dados mestres na cadeia de abastecimento e está baseada em três elementos principais: sincronização de dados, qualidade dos dados e classificação dos produtos. É a combinação destes três elementos que cria um ambiente poderoso para a sincronização segura e contínua.

A GDSN define normas, padrões e uma infra-estrutura que garante que todos os parceiros de negócio interligados a ela “falem a mesma língua”. Isso é viabilizado por meio de uma rede de data pools certificados que garantem a integridade e confidencialidade das informações e do utilizador. Os data pools são interligados ao registro global GS1, o repositório central de informações da GDSN que garante a unicidade dos itens e parceiros comerciais.

Utilizando um data pool global e certificado como o da NeoGrid, comprador e fornecedor utilizam uma linguagem comum e têm a possibilidade de negociar com parceiros de qualquer parte do globo, ampliando seu leque de oportunidades. Além, é claro, de usufruir dos benefícios proporcionados pela sincronização de dados, dos quais se destacam a redução de custos, maior eficiência operacional e aumento de vendas.

E então? Se a sua empresa pretende vender mais ou negociar globalmente em 2010, sincronize!

Modelo de funcionamento da Rede Global de Sincronização de Dados

Compartilhar

Comente este artigo