Por que monitorar o indicador de giro de estoque é importante?

Gerenciar o estoque no varejo vai bem além do que saber quantos produtos estão armazenados na loja. Passa pelo desafio de mensurar a disponibilidade de cada um deles, em um contexto cada vez mais complexo, no qual um só fornecedor (indústria) pode contar com dezenas de marcas (organizadas por categorias, como beleza, alimentação, etc). Não bastasse isso, há ainda que administrar a entrada e a saída de uma variedade de centenas de produtos. Achou difícil? Multiplique esse desafio pelo número de indústrias que fornecem itens para o varejo. Aí está a dor de cabeça a ser resolvida.

Pelo fato de o estoque não ser formado por um único tipo de produto, as variantes (como tamanho, preço, etc) só dificultam obter uma radiografia mais exata dele. Para ajudar a solucionar essa questão, é mandatório acompanhar os indicadores do seu negócio, sobretudo, o de giro de estoque, que contribui diretamente na estratégia de planejamento e reposição da cadeia de suprimentos, favorecendo a competitividade e melhorando a performance do varejo.

O indicador giro de estoque indica quantas vezes o produto saiu do estoque para abastecer a gôndola. Ou seja: quanto maior for o giro, melhor foi o desempenho de vendas daquele determinado item, pois ele estava na hora certa e no local certo para ser comprado pelo consumidor final.

A adoção de uma solução especializada na cadeia de suprimentos é fundamental para lidar com a complexidade que inclui gerenciar um volume imenso de dados (quantidade de itens e suas especificações) e a disponibilidade deles no ponto de venda. A partir dessa ferramenta, é possível dar mais dinamismo e inteligência a esse processo.

Veja cinco vantagens que o varejo e a indústria podem obter a partir do acompanhamento preciso do indicador de giro de estoque, aliado a outras ações estratégicas no planejamento e reposição de produtos na gôndola:

  • Produto não envelhece na prateleira: ter itens além do necessário no estoque pode ocasionar a perda deles por conta da validade, resultando em desperdícios ou, ainda, na deterioração dos produtos, o que leva à necessidade de devolução à indústria.
  • Reduz as chances de perder o cliente: caso o consumidor final não encontre o item na gôndola, ele pode ir a outro centro de compras (prejuízo para o varejo) ou escolher um item similar de outra marca (impactando no lucro da indústria). Gerenciar bem o estoque favorece a fidelização do cliente.
  • Poupa espaço de armazenamento: mercadoria parada ocupa o espaço que poderia atender a outra necessidade da empresa. Além disso, em caso de acidente, como incêndio ou roubo no espaço de armazenagem, um número menor de itens armazenados resulta em menor perda também.
  • Diminui as chances de indisponibilidade de produto: quando se analisa o indicador de giro é possível ter uma fotografia real sobre as vendas de cada um dos itens, atuando com agilidade na reposição destes.
  • Reduz a necessidade de realizar promoções: estoque abastecido além da demanda pode forçar o varejo a dar descontos nos itens para “se livrar” dos produtos, impactando na rentabilidade.

Sem tecnologia especializada em supply chain, é impossível fazer um controle rigoroso, dentro da complexidade apresentada. Continue conectado ao blog para obter mais informações de como uma ferramenta tecnológica pode contribuir nesse desafio. Até mais!

Autor

A NeoGrid é uma empresa brasileira de soluções para a gestão de Supply Chain com clientes em mais de 30 países e escritórios na América Latina, América do Norte, Europa e Ásia. Em plataforma exclusiva e completa, as soluções NeoGrid sincronizam a cadeia de suprimentos, trazendo como resultado a redução de rupturas (faltas) e, ao mesmo tempo, a redução de estoques.

Compartilhar

Comente este artigo