Produção puxada e produção empurrada

Produção puxada e produção empurrada: conheça as diferenças

A sincronicidade da cadeia de suprimentos tornou-se uma das características mais importantes no cenário atual. O fato é que, hoje, a produção e distribuição de mercadorias, ao mesmo tempo que necessita atender às demandas, precisa também se ajustar de forma que desperdícios, excessos e faltas não ocorram. Nesse contexto, conceitos como os de produção puxada e produção empurrada ganham relevo, pois traduzem modelos de produção distintos, cujo funcionamento interfere diretamente na forma como a cadeia de suprimentos é gerenciada, os produtos são administrados e o cliente é atendido.

Você tem a opção de ouvir o conteúdo, caso não tenha tempo para ler 🙂

Diante disso, conhecer mais a fundo as diferenças entre produção puxada e produção empurrada é um passo importante para que gestores e líderes consigam compor processos mais organizados, eficientes e que sejam capazes de aliar custos, produtividade e precisão no atendimento das demandas do consumidor.

Produção empurrada

O modelo de produção empurrada tem suas origens firmadas ainda no início da era industrial. Nesse período, a demanda por produtos era extremamente elevada, ao passo que a oferta era limitada e o mercado pouco competitivo.

Assim, o objetivo central das empresas dessa época era unicamente produzir em larga escala, aproveitando ao máximo o potencial produtivo das máquinas, sem se preocupar tanto com a absorção dessa produção pelo mercado consumidor.

Diante disso, percebe-se que o modelo de produção empurrada está centrado na produção, na indústria. A lógica desse modelo, então, se baseia em demandas projetadas, ou seja, os bens são produzidos com antecedência, de acordo com um cronograma fixo voltado para a composição de estoques.

Assim, pode-se dizer que, na produção empurrada, a produção antecede a demanda real do produto. A indústria avalia seus históricos de vendas, dados internos e externos, faz suas projeções e ajusta sua produção com base nesses indicadores. Desse modo, sempre que um cliente necessita do produto, este já está disponível no estoque.

Vantagens da produção empurrada

Na prática, apesar de não ser o modelo mais usual na atualidade, ele ainda reserva algumas vantagens. Confira!

Maior aproveitamento da infraestrutura

Como na produção empurrada o foco está na produção, a tendência é se utilizar grande parte da capacidade produtiva das máquinas e recursos humanos, o que acaba por reduzir a ociosidade desses elementos.

Exige menor esforço estatístico

Por trabalhar com uma demanda projetada, no sistema de produção empurrada não se exige um grande esforço para acompanhar as oscilações do mercado. A produção tende a se manter mais fixa, o que facilita a gestão da cadeia, dos insumos, matéria-prima e pessoal.

Desvantagens da produção empurrada

Sobretudo no cenário atual, em que sustentabilidade e eficiência são máximas importantes no contexto empresarial, a produção empurrada apresenta algumas desvantagens que necessitam ser pontuados. Vejamos!

Custos mais elevados com estoque

Manter estoques em níveis elevados, sem dúvida, gera altos custos para a empresa. Armazenar, gerenciar e conservar determinados produtos demanda mais gastos, por exemplo com espaço, pessoal e infraestrutura.

Imobilização de capital

Com estoques em excesso, a indústria acaba consumindo seu capital na produção de itens que demorarão a girar e a retornar com os investimentos. Assim, um reflexo direto é a imobilização do capital, que fica retido até que as mercadorias sejam comercializadas.

Maior probabilidade de desperdícios

Gerir grandes estoques é uma tarefa complexa, sobretudo quando se lida com mercadorias sensíveis e que necessitam de cuidados intensivos. Nesse ponto, a produção empurrada pode ser prejudicial para a cadeia de suprimentos, pois a demora na circulação da produção aumenta a probabilidade de perdas nos estoques.

Produção puxada

Diferentemente do que se observa na produção empurrada, no modelo de produção puxada, a lógica de funcionamento é outra: aqui, o que se busca é atender à demanda disparada pelo consumidor, ou seja, não se objetiva a composição de grandes estoques, mas estabelecer a máxima fluidez na cadeia de suprimentos.

Neste modelo, os processos de produção são ajustados de tal maneira que se cria um fluxo contínuo que vai desde a etapa de produção de item na indústria, até a sua aquisição pelo consumidor, na ponta final da cadeia. É como se a indústria já produzisse um item sabendo onde e quando ele será necessário.

Em outras palavras, no sistema de produção puxada, a demanda gerada pelo cliente é que “puxa” a produção, ditando o ritmo da produção. Isso por meio de indicadores, softwares, integração e sincronização da cadeia de suprimentos. Dessa forma, por exemplo, a indústria sabe quando e o quanto produzir para atender às necessidades do cliente, reduzindo significativamente o volume dos estoques.

Vantagens da produção puxada

A produção puxada é, no mercado atual, a modelagem de produção mais eficiente e alinhada com os ideias de sustentabilidade. Isso sem dúvida, é reflexo das suas vantagens. Conheça as principais a seguir!

Elimina desperdícios

Como o foco da produção puxada é atender a uma demanda já identificada, a cadeia de suprimentos é ajustada para produzir em volumes exatos, evitando assim o desperdício e o acúmulo de produtos em estoque.

É mais sustentável

Como reflexo da redução do desperdício, a produção puxada consegue imprimir um ritmo produtivo mais coerente com as demandas reais do mercado. Com isso, o uso desmedido de recursos materiais e naturais tende a ser mais sustentável, beneficiando toda a sociedade.

Reduz custos com estoques

Uma das principais bandeiras da produção puxada é a manutenção de estoques enxutos. A ideia é produzir em volume exato para evitar excessos ou faltas de mercadorias no mercado. Com isso, os custos com estoques reduzem drasticamente. Isso porque as mercadorias giram mais rapidamente, eliminando a necessidade de ficarem alojadas.

Como escolher o melhor modelo de produção

Como foi possível perceber, a produção puxada e a produção empurrada têm suas vantagens e desvantagens. Assim, a definição do modelo mais indicado basicamente dependerá do tipo de produto produzido. A exemplo, itens de produção complexa e demorada, como veículos, podem não se ajustar à produção puxada, pois o tempo de disponibilização após o pedido seria maior.

Agora que você já sabe quais são as diferenças entre produção puxada e produção empurrada, continue se informando com nossos materiais e conteúdos. Siga as nossas redes sociais e fique atualizado. Estamos no Facebook, Twitter, LinkedIn e YouTube!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Comente este artigo