Qual a importância do nível de atividade dos produtos na gestão de estoque?

No contexto do varejo, um dos grandes desafios enfrentados pelas empresas é a gestão do acervo de itens disponibilizados ao consumidor. Nesse segmento, a alta variedade de mercadorias exige um acompanhamento preciso, no qual se tenha uma noção confiável do nível de atividade dos produtos na gestão do estoque, já que cada um apresenta uma dinâmica de venda própria, com giro mais ou menos acentuado.

Negligenciar esse importante atributo é dar margem para problemas rupturas no caixa do negócio, especialmente quando se faz compras em desacordo com as demandas, imobilizando o capital com estoques que demoram para girar e retornar com os investimentos.

Por isso, a empresa que deseja manter suas operações em conformidade e compor estoques de maneira estratégica precisa se atentar ao nível de atividade dos produtos. Sabendo disso, preparamos este artigo para mostrar a importância dessa medida. Acompanhe!

Por que é importante o empresário ter uma boa gestão de estoque?

Manter a eficiência na composição do estoque de empresas implica monitorar o giro de cada produto. Essa medida é o que vai dizer quantas vezes a mercadoria foi vendida e dará uma estimativa de quanto tempo será necessário para vender todas as unidades.

Imagine um exemplo em que um varejista compra cem unidades de um produto que custa mil reais, como uma geladeira. Se esse produto levar um ano para ser vendido, significa que o capital investido ficou imobilizado ao longo de todo esse período, não retornando ao caixa da empresa para ser empregado em outras necessidades. Logo, é perceptível o prejuízo competitivo que o negócio sofre com a má gestão do seu estoque e das suas compras.

Desse modo, a lógica que se tem é que o giro de estoque está totalmente ligado ao nível de atividade. Quanto menos um seu produto gira, mais baixo ele é nessa escala.

No cenário do varejo, principalmente, em que se lida com um mix amplo de produtos e cada um deles apresenta uma dinâmica diferente nas vendas, se atentar ao nível de atividade dos itens é primordial para gerir o estoque. Isso porque, dependendo dessa dinâmica, a disponibilidade do produto vai ser mais ou menos impactante para a sua operação.

O que é nível de atividade dos produtos no estoque?

Para facilitar a compreensão desse conceito, imagine que uma empresa esteja com um produto em falta no seu estoque há quinze dias. Porém, esse mesmo produto é o que definimos como slow mover e costuma ter uma unidade vendida a cada dois dias. Assim sendo, pode ser que essa indisponibilidade temporária nem afete as atividades do negócio.

Agora, imagine se houver a indisponibilidade de um produto com saída diária — fast mover — no estoque da empresa. Certamente essa falta será sentida pelo consumidor e impactará as atividades do varejo.

Nesse tipo de situação, há perda financeira, de marketing share e reputação. A depender do produto em si, se o consumidor não encontra no seu varejo, ele vai procurar em outro local ou deixa de comprar no seu estabelecimento.

Dito isso, podemos então definir o nível de atividade dos produtos como a curva de saída deles do estoque, isto é, a frequência com que são demandados pelo consumidor e a necessidade de reposição conforme essa demanda.

Assim, para um gestor de varejo, é muito importante controlar o nível de atividade para evitar rupturas dos produtos que são mais críticos para as operações do negócio. Não se deve de maneira alguma deixar faltar os produtos fast mover, pois possuem um alto volume de vendas e, caso não estejam disponíveis, impactarão negativamente a empresa.

Nesse ponto, o ideal é que nenhum produto falte no estoque, mas, no dia a dia do varejo, isso é praticamente impossível. Então a ação mais estratégica a ser tomada é conseguir identificar o nível de atividade dos produtos dentro dos conceitos de slow mover, fast mover e no moving. Dessa forma, a empresa consegue imprimir uma gestão otimizada do estoque, garantindo que não ocorra a indisponibilidade dos produtos mais básicos para o atendimento das demandas dos clientes.

Como identificar um produto Slow mover, Fast Mover ou No moving?

Agora que já sabemos o conceito de nível de atividade dos produtos, cabe aprofundarmos um pouco na classificação de slow mover, fast mover e no moving. Vejamos!

Slow mover

Em regra, essa classificação é dada para aqueles produtos que apresentam uma baixa demanda, ficando sem registro de consumo por períodos maiores.

De maneira mais objetiva, considera-se slow mover aqueles itens que demoram de 7 a 30 dias para serem vendidos.

Fast mover

Com base nessa classificação, são inseridos os produtos que apresentam um alto giro dentro do estoque, ou seja, que têm uma demanda regular e um fluxo alto de renovação. Tomando como base o critério objetivo, pode-se dizer que fast mover são itens com saída em tempo menor do que 7 dias.

No moving

Por sua vez, os produtos que se enquadram nessa posição são aqueles que têm uma saída bastante irregular, ou que apresentam uma demanda pré-determinada, em determinados períodos do ano ou para cobrir promoções e situações sazonais. Assim, seriam as mercadorias que superam os 30 dias para serem vendidas.

No cenário da logística empresarial, todos os termos apresentados — nível de atividade, slow mover, fast mover e no moving — tem um impacto direto sobre as decisões de gestores, varejistas e demais empresas que precisam nutrir seus estoques e manter a cadeia de suprimentos ativa.

Nesse sentido, a observância desses conceitos é a base para um alinhamento mais preciso entre disponibilidade e demanda, além de ser uma ação estratégica para aproveitar melhor o capital da empresa, empregando-o naqueles produtos e insumos mais essenciais às atividades, visando sempre a manutenção das atividades, a eficiência operacional e a redução de custos.

Portanto, como foi possível perceber, o nível de atividade dos produtos não pode — e não deve — ser negligenciado nas empresas. Por isso, investir em soluções capazes de auxiliar na gestão desse indicador é, sem dúvida, uma decisão estratégica capaz de garantir mais visibilidade às necessidades da empresa na hora de investir e compor o seu estoque.Então, gostou deste artigo? Tem interesse em aumentar o controle sobre o estoque do seu negócio e tomar decisões de maneira mais precisa e estratégica? A Neogrid tem a solução ideal para a sua necessidade. Entre em contato conosco e conheça!

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Comente este artigo