Qual o impacto da internet das coisas na cadeia de suprimentos?

transformação digital vem revolucionando a estrutura produtiva das empresas, o que nos aproxima cada vez mais do modelo da Indústria 4.0. Com a entrada das novas tecnologias, diversos processos se tornaram muito mais ágeis e eficientes — e essas mudanças já alcançaram a cadeia de suprimentos (supply chain).

Atualmente, a Internet das Coisas (do inglês, Internet of Things — IoT) é um dos conceitos de maior destaque. Sua flexibilidade faz com que empresas de todos os setores e tamanhos possam implementá-la e colher os frutos em pouco tempo. No entanto, é natural se deparar com algumas dúvidas referentes ao seu funcionamento.

Neste post, mostraremos quais são os impactos da IoT na cadeia de suprimentos, mostrando suas aplicações e principais vantagens. Confira!

O que é Internet das Coisas

O conceito de Internet das Coisas faz referência à capacidade de fazer com que dispositivos eletrônicos se comuniquem entre si. Em geral, os equipamentos trocam informações por meio de uma rede sem fio (wireless). Além disso, eles se comunicam com outros softwares, compondo uma rede de dispositivos inteligentes.

A ideia que deu origem ao conceito é bem simples. No entanto, transformá-la em realidade só foi possível com muito avanço tecnológico — afinal, os circuitos precisam ser extremamente compactos, assim como sua alimentação (fonte de energia elétrica).

Com placas cada vez menores e mais eficientes, a IoT finalmente se transformou em uma realidade nas empresas. Os dispositivos que atualmente saem da fábrica já com suporte para IoT são capazes de se comunicar com softwares que analisam os dados e, muitas vezes, tomam decisões automatizadas (pré-programadas).

As possibilidades são incontáveis. Em geral, a aplicação depende da criatividade do fabricante ou do desenvolvedor do sistema. Em residências, por exemplo, as geladeiras inteligentes identificam quando um produto está em falta, notificando o proprietário (usuário) no smartphone ou mesmo solicitando uma nova compra online — direto no supermercado!

Na Indústria 4.0, a Industrial Internet of Things (IIoT) também chegou com força. O principal foco é captar, armazenar e processar dados. A manutenção, por exemplo, pode implementar sensores de temperatura, vibração e calor em um equipamento e identificar sinais de falhas antes que elas ocorram.

Já na supply chain, as possibilidades de uso da IoT também vêm sendo ampliadas.

Os impactos da IoT na cadeia de suprimentos

A Internet das Coisas pode ser aplicada nos mais diversos pontos da supply chain: na armazenagem, no gestão do estoque, no transporte e no próprio atendimento ao cliente. O primeiro grande diferencial notado é a otimização dos processos.

Seguindo a mesma lógica adotada no uso domiciliar, o estoque pode passar por um processo de automatização. Com sensores aplicados em cada prateleira, a saída dos itens pode ser registrada pelo próprio sistema, dispensando a necessidade do registro manual e, com isso, prevenindo o risco de falha humana.

A redução de custos é o segundo grande diferencial que a IoT proporciona. Com um controle mais rígido sobre o fluxo de materiais na empresa, os gastos são mantidos dentro do orçamento previsto. O desperdício de recursos também é reduzido — o que inclui os recursos humanos, já que o tempo dos profissionais é aplicado com mais eficiência.

Vale destacar que as mudanças não são uma exclusividade da indústria. O próprio varejo, mesmo com suas particularidades na supply chain, pode ser amplamente beneficiado.

A tendência é que a automação da cadeia de suprimentos aumente a produtividade das operações no varejo. Tudo isso é possível graças à transparência que a IoT insere no processo de gestão dos ativos.

Mas, afinal, como essa tecnologia proporciona uma mudança tão radical? Para responder a essa questão, falaremos agora das aplicações da IoT em diferentes setores.

Principais aplicações para indústria e varejo

A inovação é fundamental para a Indústria 4.0. Nesse modelo, o controle das linhas de produção, por exemplo, é feito com mais precisão. Alguns softwares oferecem até mesmo uma dashboard de monitoramento. Trata-se de uma interface visual com indicadores e métricas atualizados em tempo real. Isso significa uma adequação essencial a uma característica importante do mercado atual: o atendimento personalizado.

Hoje, os clientes querem produtos cada vez mais específicos, sob demanda. Com a IoT, a indústria é capaz de assumir esse projeto e entregá-lo cada vez mais rápido, graças à otimização da cadeia de suprimentos.

Assim que um projeto é registrado no sistema, um pedido com quantidades exatas é gerado e enviado aos fornecedores. No recebimento, os materiais podem ser cadastrados no estoque com tecnologia RFID, por exemplo. Estamos falando de etiquetas com microchips que identificam cada peça individualmente, agilizando a entrada e saída de materiais.

Ao longo da linha de produção, todos os gestores e demais envolvidos podem atuar para melhorar continuamente cada processo. Ao final, a empresa já se ajusta para o próximo projeto: cada compra é sob demanda, proporcionando uma produção mais enxuta (com produtividade maior, menos material e menos recursos humanos).

Já no varejo, a mesma lógica pode ser implementada. O monitoramento das vendas pode ser feito com um sistema de captação de dados nas próprias gôndolas ou no caixa. A IoT é então aplicada para mapear o deslocamento dos clientes no interior da loja (por meio de uma conexão Wi-Fi aberta).

Com esses dois tipos de informação em mãos, o gerente pode reorganizar as prateleiras para melhorar as vendas, favorecendo mix de produtos relacionados. O estoque é reposto no tempo certo, evitando a perda de vendas ou o gasto excessivo.

O mais interessante é que a gestão tende a ser centralizada em uma plataforma virtual única. Tanto o gestor como os vendedores podem consultar os produtos disponíveis em tempo real: com um dispositivo móvel em mãos, as informações ficam a um clique de distância.

Como você pôde ver, a cadeia de suprimentos se torna uma ferramenta estratégica para melhorar as vendas. Tanto na indústria quanto no varejo, a Internet das Coisas vem se tornando uma parceira fundamental — faça uso dessa tecnologia e melhore a produtividade da sua empresa, reduzindo custos e otimizando processos!

Gostou do post? Continue acessando nosso blog e tendo acesso a esse e outros materiais.

Autor
Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).
Comente este artigo