Relação da frequência de reposição com o balanceamento dos estoques

A frequência de reposição é um fator decisivo nos dias atuais e tem grande influência no correto balanceamento dos estoques e na satisfação dos consumidores. Muitos fornecedores tendem a reduzir a frequência de reposição considerando entregas de grandes volumes e em poucos caminhões.

Esses fatores nem sempre trarão o melhor resultado devido a possíveis rupturas no mix de produto, atrasos nos processos de carga e descarga, redução na satisfação dos clientes / consumidores e na validade (frescor) dos produtos.

O conceito do lote de reposição (estoque para “n” dias de consumo entre o recebimento e o estoque de segurança) é base para o entendimento do modelo de reposição e da política de estoque.

Nas imagens abaixo observarmos dois diferentes modelos para o mesmo produto, o primeiro trabalha com um estoque maior e uma frequência de entrega menor. Já o segundo modelo trabalha com um estoque 50% menor com uma frequência de entrega maior.

Modelo 1 – lote de reposição: 30 dias.

Modelo 2 – lote de reposição: 15 dias.

Modelo 1  

Modelo 2  

Produtos que impactam o fluxo de caixa por terem alto valor ou que tenham grande variabilidade de demanda, na maioria dos casos se adaptam melhor com menores lotes de reposição e uma frequência maior de reposição. Já produtos de baixo valor ou que tenham comportamento constante se adaptam melhor com maiores lotes de reposição e uma frequência menor de reposição. Outros fatores também devem ser analisados para auxiliar na definição do correto tempo de ressuprimento:

  • Ruptura dos produtos com relação ao mix de produto comercializado.
  • Custo de estoque.
  • Satisfação dos clientes / consumidores.
  • Validade dos produtos / frescor (shelf-life).
  • Capacidade de entrega / recebimento.

Para facilitar o entendimento dos conceitos e fatores, veja o cenário abaixo:

  • Produtos com demanda instável.
  • Reposição 2 vezes na semana – terça e sexta.
  • Lote de reposição de 4 dias.
  • Lead time de 1 dia.

Como sugestão, aumente a frequência de reposição para 3 vezes na semana, reduzindo o lote de reposição para 2,5 dias combinado a um melhor mix de produto na entrega. Provavelmente conseguiremos reduzir o estoque, com um melhor mix de produto e um melhor shelf life para melhor satisfazer os clientes / consumidores.

Para tornar possíveis tais atuações, projetos de integração (VMI – Vendor Managed Inventory / CPFR – Collaborative Planning, Forecasting, and Replenishment) proporcionam essa melhor reposição dos produtos e balanceamento dos estoques.

Defina as métricas, ajuste os acordos comerciais / parâmetros de reposição e obtenha melhores resultados!!!!

Autor

Camilo Manfredi (camilo.manfredi@neogrid.com) é graduado em Engenharia de Produção Elétrica pela FEI - São Bernardo do Campo – São Paulo, pós-graduado em Administração pela FGV – São Paulo e master em Liderança e Gestão de Pessoas pela FGV – São Paulo. Atuou em diferentes projetos de transformação da cadeia de suprimentos em todo o Brasil, apoiando também as operações dos EUA, Europa e Japão. Autor do livro Clientes & Empresas – Como Cães & Gatos. Atualmente é Diretor de Operações - Planning & Replenishment na NeoGrid.

Compartilhar

Comente este artigo