Ruptura nos pontos de venda: por que ela ocorre e como evitá-la?

Prateleira vazia é o pior pesadelo de qualquer fabricante. Os produtos percorrem um longo caminho desde a produção, passando pela armazenagem e transporte até chegarem ao varejo e, mesmo assim, às vezes, não alcançam o olhar do consumidor final. Mas por que isso ocorre? A ruptura tem dois motivos principais: dificuldades operacionais nas lojas e falhas na reposição de estoques nos pontos de venda. Entenda por que esses problemas acontecem e como é possível solucioná-los.

#Falhas operacionais

1° Gôndola Desabastecida

Este é principal problema dos varejos: a falta de reposição do produto na prateleira. O item está disponível no estoque, mas não chegou até a gôndola. Por que?

Controlar uma quantidade enorme de produtos não é tarefa fácil. Para que a gôndola permaneça abastecida é preciso que o sistema em que o varejista faz a gestão de suas mercadorias seja totalmente integrado e automatizado, com avisos em tempo real, que levam em consideração a expectativa de vendas do dia e o total de vendas em um determinado período. Só assim é possível tomar decisões assertivas sobre a reposição dos itens nas prateleiras.

2° Estoque virtual

Estoque virtual é a diferença entre o número de produtos que constam no sistema da loja e a quantidade física realmente disponível no estoque para venda ao consumidor. Esse indicador geralmente confunde o varejista, que deixará de fazer um pedido de um determinado produto por acreditar que ainda o tem na loja. Isso acontece principalmente quando, ao passar as compras no caixa, a operadora usa apenas um produto para contabilizar itens que se repetem. Imagine que o consumidor comprou cinco gelatinas: duas de morango e três de limão. Usar apenas uma de limão, passando-a cinco vezes em frente à leitora de códigos, gera o estoque virtual, pois na verdade foram contabilizados no sistema da loja 5 gelatinas de limão apenas. Dessa forma, o sistema entende que o sabor limão pode estar em falta, enquanto morango está disponível no estoque – o que não é verdade.

#Falhas logísticas

1° O varejo não colocou o pedido para o fornecedor

Se o varejista não informa ao distribuidor que está sem estoque ou em risco de ficar sem determinado produto, a gôndola ficará vazia. Já parou para contar quando produtos estão no mercado hoje? Impossível! Já é difícil de identificar e rastrear a concorrência sem as soluções adequadas, imagine contabilizar todos os produtos e marcas. Esse é o desafio diário do varejista que nem sempre vai conseguir prever rupturas sozinho. Para dar conta do dia a dia, cada empresa organiza suas rotinas. Se a loja comunica às terças e quintas-feiras as faltas de estoque, a possibilidade de o fim de semana chegar com ruptura no varejo é grande.

2° Houve falha na entrega

Problema clássico e típico de um país de território vasto que baseia a distribuição de mercadorias no método rodoviário. Atrasos fazem parte quando o tráfego está interrompido ou comprometido. Aliás, “o trânsito” é a desculpa típica para todos os casos em que não se está em dia com o relógio e o calendário. Mas você sabe reconhecer quando ela é, de fato, plausível nas entregas do seu produto? Se não, fique atento! Você pode estar perdendo vendas pela falta de visibilidade do distribuidor.

Diante das falhas logísticas e dos problemas operacionais que ocorrem nos pontos de venda, como reduzir a ruptura? O primeiro passo é saber qual o desempenho de seus produtos nos pontos de venda. Isso é possível com soluções tecnológicas que possuem o conceito OSA (On Shelf Availability), como as de Visibilidade do Varejo e de Visibilidade do Distribuidor, que identificam as causas das faltas em gôndola e possibilitam às empresas tomarem ações imediatas para corrigir o problema.

A tecnologia também traz soluções que auxiliam no planejamento, distribuição e reposição de forma colaborativa entre indústria e varejo para evitar a ruptura. Esse é o assunto do próximo post. Até lá!

Autor

Somos especialistas em sincronizar sua empresa à demanda. Em manter seu produto sempre disponível para o consumidor, na quantidade adequada e na hora certa. Nós somos a Neogrid. Uma empresa de soluções para a gestão automática da cadeia de suprimentos (Supply Chain Management).

Compartilhar

Comente este artigo