Supply Chain x Tecnologia

Por que existe uma relação tão grande entre tecnologia e gestão de supply chain?

A resposta é simples, tente colocar no papel todas as informações de compra de matéria prima de todos os seus fornecedores, em seguida todas as informações de venda para os seus clientes, por fim cruze todas essas informações com a suas respectivas datas.

Como resultado, você terá uma quantidade muito grande de informações, e conseguir trabalhar com todas essas informações de maneira otimizada é algo praticamente impossível sem a ajuda da tecnologia.

E quais seriam então as consequências para uma empresa que não usa tecnologia para realizar a gestão de supply chain?

Podemos citar muitas, mas vamos nos ater às principais:

  • Baixo aproveitamento das horas trabalhadas;
  • Erros frequentes e sem causa identificada;
  • Retrabalho recorrente;
  • Tomada de decisão sem embasamento;
  • Vários modelos de documentos, em formatos diferentes;
  • Falta de status atualizado de processos compras, cobrança, etc.;
  • Perda de vendas;
  • Foco total na operação e não na gestão.

Somadas todas essas perdas, podemos dizer que a principal consequência é a perda de competitividade da empresa perante aos seus concorrentes.

Então, se o seu objetivo é estar sempre entre as empresas mais competitivas do mercado, você precisa fazer uso da melhor tecnologia, pensar em ferramentas além do pacote básico, pois essa tecnologia precisa ser o mais “inteligente” possível, assim quanto maior a sua “inteligência” maiores serão os resultados entregues para a sua empresa.

Pense na ferramenta de tecnologia como um otimizador de tarefas, ajudando a sua equipe atingir o melhor desempenho e alcançar resultados cada vez melhores.

Autor

A NeoGrid é uma empresa brasileira de soluções para a gestão de Supply Chain com clientes em mais de 30 países e escritórios na América Latina, América do Norte, Europa e Ásia. Em plataforma exclusiva e completa, as soluções NeoGrid sincronizam a cadeia de suprimentos, trazendo como resultado a redução de rupturas (faltas) e, ao mesmo tempo, a redução de estoques.

Compartilhar

Comente este artigo